Palmas

Mesmo com recomendação do Ministério Público Federal a Câmara de Palmas fará nesta sexta-feira, 11, às 19:30 horas, uma reunião pública para ouvir a população na Escola de Tempo Integral Pe. Josimo (região norte – ARNOS), qu enão terá formato de audiência pública. A reunião discutirá o projeto de lei que altera o Plano Diretor de Palmas. O plano precisa ter área para expansão, na opinião dos vereadores.

O vereador líder do prefeito, Milton Neris em entrevista ao Conexão Tocantins nesta sexta-feira, 11, frisou que a Câmara não tem ainda proposta formulada sobre o assunto. “Queremos ouvir a população, e mostrar os estudos e levantamentos”, salientou. As audiências públicas serão feitas após as reuniões que começam hoje.

Os vereadores se reuniram com técnicos da prefeitura e analisaram ainda um diagnóstico e levantamento feito pelo arquiteto Walfredo Antunes. A matéria entrou em julho na Câmara de Palmas e a expectativa dos parlamentares é votar ainda neste mês o projeto.

Com relação a pré-candidatos que começaram a condenar a proposta da Câmara, Neris salientou que o espaço para se manifestar é exatamente nas audiências. Na base de argumentação de alguns deles está a necessidade de combate à especulação imobiliária.

O presidente da Comissão que discute o assunto na Câmara, Fernando Rezende afirmou esta semana ao Conexão Tocantins que a proposta dos vereadores visa reparar um equívoco no plano diretor que é a necessidade de área para expansão urbana, segundo ele. O vereador, que é proprietário de imobiliária, não quis adiantar a delimitação desta área. O vereador Lúcio Campelo (PR) também concorda com a proposta.

Contra

O arquiteto Eduardo Manzano que já foi secretário do prefeito Raul Filho é contra a proposta. “Este projeto está visando ampliar a área urbana 15 km para o norte e também para o lado da serra, ultrapassando a barreira da TO-050, projeto este disfarçado por um discurso de interesse social, de regularizar bairros irregulares da capital e baratear o custo de lotes”, segundo ele.