Saúde

Após o registro de alguns casos da doença de chagas no município de Ananás, localizado no norte do Estado, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc), visando zelar pelo bem-estar dos alunos e servidores das unidades estaduais de ensino da região, determinou desde o início desta semana, a suspensão da aquisição e consumo da fruta, também conhecida na região como juçara, no cardápio da merenda escolar.

A medida se deve ao fato de que a polpa das frutas vendida na cidade, segundoinvestigações da Vigilância Epidemiológica, pode estar infectada pelos protozoários transmissores da doença, cujo hospedeiro é conhecido como barbeiro.

De acordo com o nutricionista do setor de alimentação escolar da Diretoria de Apoio Escolar da Seduc, Juliano Vidal Barbosa Filho, a determinação já foi transmitida às escolas do norte-tocantinense, e só poderá vir a ser anulada caso os procedimentos de aquisição das frutas cumpra todas as orientações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). “Esta medida foi preventiva. Não tivemos notícias de que há alunos ou servidores das escolas estaduais infectados, entretanto, nem por isto o consumo da fruta deve continuar", disse.

Apesar do PNAE sugerir que a cultura alimentar local seja considerada e respeitada na elaboração do cardápio da merenda escolar, estimulando a vocação agrícola da região, a compra dos produtos tem itens a serem considerados, "e um deles remete ao cumprimento de um padrão mínimo estabelecido para as condições higiênico-sanitárias, por exemplo. Ou seja, antes de se adquirir uma fruta ou outro alimento da agricultura familiar, as unidades de ensino que buscam esta aquisição devem se atentar a estes detalhes para não oferecer produtos sem qualidade para os nossos alunos e servidores”, explica o nutricionista da Seduc. (Ascom Seduc)