Geral

Aproximadamente 800 pessoas se inscreveram para o I Seminário “Adoção: Amor em Ação” que será realizado no Auditório do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins, nesta sexta-feira (11), a partir das 13h30. O evento é uma iniciativa da Corregedoria-Geral da Justiça do Tocantins, por meio de sua Comissão Estadual Judiciária de Adoção do Estado – CEJA/TO e terá como temas “Cadastro Nacional de Adoção” e “Estatuto da Criança e Adolescente e suas atualizações”.

O número elevado de inscritos revela o interesse das pessoas no que tange às particularidades do processo de adoção. Aproximadamente 480 participantes são da capital, Palmas, o restante compreende aos inscritos distribuídos entre as 42 Comarcas do Estado, que acompanharão o evento que será transmitido via satélite pelo canal 5, nos televisores das respectivas Comarcas.

A partir das 13h acontecerá o credenciamento de participantes e profissionais da imprensa junto ao evento que terá sua abertura a partir das 13h30. Na oportunidade, será lançada a Cartilha da Adoção a ser distribuída em todo Estado às pessoas que buscam os aparelhos públicos com o objetivo de adotar uma criança e profissionais ligados ao tema – Conselhos Tutelares, Juizados da Infância e unidades do Poder Judiciário. A cartilha estará disponível também em formato PDF no site www.tjto.jus.br/corregedoria.

Além do lançamento da cartilha, acontecerão duas palestras durante o evento. Às 14 horas, o juiz auxiliar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Nicolau Lupianhes Neto, explanará sobre o Cadastro Nacional de Adoção. A partir das 16 horas o “Estatuto da Criança e do Adolescente e suas atualizações” entrará em debate, por meio da explanação do Mestre e Doutor, membro do Ministério Público de São Paulo, Frascimar Lamenza. O evento é direcionado a profissionais envolvidos com o tema, dentre operadores do direito, assistentes sociais, psicólogos, além de sociedade geral.

Um dos objetivos do evento é dar continuidade ao projeto de reestruturação da Comissão, haja vista sua importância no âmbito estadual, no enfrentamento de questões como a criação de programas de esclarecimento público sobre adoção. (Ascom TJ)