Campo

Foto: Divulgação

Os produtores rurais têm até o dia 30 de novembro para vacinar seu rebanho contra a febre aftosa e até 10 dias após a imunização para comprovação do ato. A segunda etapa iniciou dia 1º e a expectativa é imunizar 3,5 milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos) com até 24 meses de idade, declarados em maio.

Atualmente, o Tocantins conta com aproximadamente oito milhões de bovídeos. Portanto, os pecuaristas que não têm animais com idade vacinal, obrigatoriamente, também terão de declarar todos os animais existentes na propriedade, onde sua ficha cadastral é movimentada. “Acreditamos que os pecuaristas estão conscientes da importância da vacinação e atentos ao fim do prazo da Campanha”, destaca o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, descartando a possibilidade de prorrogação do prazo.

Para o presidente da Adapec, Geraldino Ferreira Paz, o Tocantins está avançando cada vez mais nos mercados consumidores pela qualidade da carne, por isso, todas as exigências previstas nas legislações devem ser cumpridas. “Quando o rebanho está saudável toda a cadeia produtiva ganha e a população é a maior beneficiada, pois estará consumindo produtos inócuos”, pontuou.

Penalidades

O produtor que deixar de vacinar será multado em R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada.

A GTA – Guia de Trânsito Animal (obrigatória para o transporte de animais) está condicionada a comprovação da vacina. Animais transportados sem a documentação implicará multa ao proprietário no valor de R$ 42,56 por animal e R$ 127,69 ao transportador, por transporte ilegal. Se for comprovada a origem dos animais, por meio do cadastro da propriedade rural, o gado é devolvido à origem sob a supervisão da Adapec. Do contrário, é realizado o rifle sanitário. “Todo este cuidado é para assegurar a sanidade do rebanho do Estado, que é referência nacional”, ressaltou Rocha.

Zona de proteção

Nesta área, composta pelos municípios de Barra do Ouro, Goiatins, Campos Lindos, Recursolândia, Lizarda, São Felix e Mateiros, todos os animais, independente da faixa etária, devem ser vacinados. (Ascom Adapec)