Polí­cia

Foto: Divulgação

O Comando Geral da Polícia Militar do Tocantins, por meio do Comando do Policiamento do Interior (CPI), que tem à frente o coronel Gilberto Nogueira da Costa, avalia como positivas as ações realizadas neste ano de 2011 e destaca as principais operações executadas em sua área de atuação. Quanto à Operação de fim de ano, o CPI adianta que vai desenvolvê-la de 16 de dezembro a 1º de janeiro de 2012.

Sob a responsabilidade do CPI, durante este ano foram realizadas 21 operações, sendo nove delas ostensivas e repressivas, o que resultou na abordagem ou revista de 53.231 pessoas e 63.595 veículos; apreensão de 17 armas de fogo, 46 armas brancas (tipo facas) e o registro de 20 ocorrências de apreensão de entorpecentes. Ainda foram recolhidas 63 Carteiras de Habilitação (CNHs), aplicadas 2.415 infrações no trânsito e removidos/retidos 1.124 veículos irregulares.

As ações do CPI tiveram início no dia 07 de janeiro, logo após o coronel Nogueira assumir o cargo. Cada operação teve um objetivo específico. A primeira foi a Operação Sentinela, na qual foram empregados os efetivos administrativo e operacional nas vias urbanas e rodoviárias de Palmas, com o objetivo de coibir furtos e roubos a instituições financeiras e veículos automotores.

“Apesar das dificuldades inerentes à atividade policial, considero 2011 um ano de resultados satisfatórios, principalmente em se tratando da união que conseguimos entre todas as unidades operacionais para a execução de nossas atividades. A Polícia Militar do Tocantins conclui mais um ano com o sentimento de dever cumprido e com boas perspectivas para os novos projetos que virão em 2012, e estaremos sempre focados em oferecer e garantir à população segurança e tranquilidade, com ações rápidas e eficazes”, avaliou o coronel Nogueira.

Operações

Na operação Presídio-Cadeia, realizada em 22 de janeiro, foi feita uma busca minuciosa nas celas e revista geral nos detentos em todos os presídios e cadeias públicas do Estado, com reforço da CIOE – Companhia Independente de Operações Especiais e Polícia Civil. Neste dia foram apreendidos pelo menos 36 chunchos, 10 vergalhões, celulares, cordas artesanais e droga.

Com o objetivo de fiscalizar, prevenir, educar e repreender pessoas no trânsito foram realizadas as operações Varredura (entre 26 e 28 de janeiro), a operação “Trânsito 10” (em 09 de fevereiro), Operação TX ( de 24 de maio a 24 de agosto), para garantir a segurança de taxistas e mototaxistas e a operação em apoio à Agência Tocantinense de Regulação – ATR ( nos dias 05 e 18 de abril, 05 de maio, 06, 11 e 26 de setembro e 1º de outubro) com o intuito de coibir irregularidades no serviço de transporte rodoviário intermunicipal e interestadual de passageiros.

Para coibir os diversos tipos de crimes foram desenvolvidas a Operação Carnaval, nos municípios onde houve festa carnavalesca, entre 04 e 08 de março; Operação Fogo Zero, nos dias 25 e 26 de fevereiro, nas entradas e saídas das cidades para evitar entrada de armas, droga e outros ilícitos e também a Operação Asfixia, desenvolvida na cidade de Araguatins no dia 26 de março, que teve como foco abordagens nos bares e pontos considerados críticos, além de bloqueios nas entradas daquela cidade.

Paralela à Campanha Semana Santa 2011, desenvolvida pelo Detran entre 18 e 20 de abril, foi realizada a Operação Semana Santa da PM no período de 21 a 24 do mesmo mês, com o objetivo de coibir práticas criminosas no período da festa.

Distribuída em oito etapas, de 14 de abril a 29 de julho, a Operação Tocantins Contra o Crime foi desenvolvida com apoio da CIOE, Cipama, Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, e teve como principal objetivo desenvolver ações de buscas e abordagens a pessoas e veículos, para combater a criminalidade, coibindo o porte e uso ilegal de armas de fogo e arma branca, tráfico de entorpecentes, de madeiras e animais silvestres.

Já a Operação Maçarico é desenvolvida antes e após o pagamento do funcionalismo público, com ações preventivas e repressivas, visando coibir furtos e roubos no comércio e a instituições financeiras como agências dos Correios, Bancos e caixas eletrônicos.

Ainda para prevenir ações criminosas, nas principais cidades do interior do Estado foram desenvolvidas a Operação Presença, em 27 de agosto, e a Operação Fecha Quartel, no período de 14 a 16 de setembro, nas cidades de Araguaína e Gurupi. Nestes mesmos municípios foi realizada a Operação Maritaca, entre 29 e 30 de setembro, em conjunto com a CIOE, Cipama, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil do Tocantins e do Pará, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, com blitzes em pontos críticos das cidades e divisas dos Estados.

Benefícios

Além das ações de prevenção e repressão na área do CPI, foram assinalados alguns benefícios para os públicos interno e externo, como a aquisição de odontomóvel para atendimento odontológico aos militares e dependentes, entrega de armamentos e equipamentos às Unidades, capacitação de instrutores e formação de alunos do Proerd, implantação de geoprocessamento de dados para análise de ocorrências em Gurupi, incentivo a atletas das escolinhas de futebol, cursos de capacitação de condutores de viaturas, treinamentos de tiro e outros, reformas e instalações de destacamentos e pelotões, a exemplo de Nova Olinda, criação da sede própria do GOC – Grupo de Operações com Cães em Gurupi, implantação da patrulha escolar em Araguaína e Gurupi, implantação do Posto Policial no Terminal Rodoviário de Gurupi, otimização do Siop em Araguaína e Gurupi e reforço no efetivo com a disponibilização de novos cadetes.

CPI

O Comando do Policiamento do Interior é a Unidade resposável por organizar, coordenar, supervisionar, fiscalizar, direcionar e controlar todas as atividades operacionais desenvolvidas em sua área de circunscrição, que compreende 126 municípios, distribuídos entre o 2º BPM – Batalhão da Polícia Militar (com sede em Araguaína), 3º BPM (Pedro Afonso), 4º BPM (Gurupi), 7º BPM (Guaraí), 1ª CIPM – Companhia Independente da Polícia Militar (em Arraias), 2ª CIPM (Dianópolis), 3ª CIPM (Colinas do Tocantins), 4ª CIPM (Araguatins) e 5ª CIPM (Tocantinópolis). (Ascom PM)