Palmas

Foto: Divulgação

A reunião do Conselho Municipal de Trânsito de Palmas prevista para esta quinta-feira, 15, foi adiada para a próxima segunda, 19. A intenção é começar a discutir a nova planilha que traz o aumento da tarifa no transporte coletivo da capital, atualmente com preço de R$ 2,20. O presidente do Conselho, secretário municipal de Segurança, Trânsito e Transporte da capital, coronel Antônio Joaquim Martins Benvindo, já se reuniu com os vereadores da capital para informar que o novo decreto trazendo o aumento já está pronto.O aumento cogitado é de 0,30 centavos.

No Tribunal de Justiça tramita a Ação Popular que impediu o aumento na tarifa em outubro deste ano. Um dos advogados da ação e também membro do conselho como representante da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Tocantins, Iuri Daher comentou ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira que é importante que as melhorias no transporte cheguem à população para que assim o reajuste seja legítimo. A ação teve assinatura de 16 mil palmenses.

As melhorias foram também frisadas ao Conexão Tocantins pela representante dos estudantes de Palmas que também compõe o Conselho, Nataly Dias que estuda na Universidade federal do Tocantins. “A prefeitura hoje fez seu papel e cumpriu a decisão da justiça”, avaliou.

A estudante explicou que o intuito da ação popular foi exigir mais transparência, lisura e coerência nos cálculos da planilha. “Precisamos analisar a planilha já que o aumento é quase impossível de segurar”, ponderou.Na reunião de segunda-feira, a estudante conta que vai pedir mais agilidade na prefeitura no cumprimento dos prazos

O presidente do Conselho justifica o novo aumento alegando que a Miracema já aumentou a frota e passou a fazer mais 40,6 mil quilômetros com a criação de novas linhas como o 13 além de ter gastos maiores com combustíveis.O salário dos motoristas foi também reajustado e deve ter novo aumento, segundo a empresa.

Reajuste

No dia 11 de julho deste ano o Conselho Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (CTTM) decidiu pelo aumento de R$, 2,20 para R$ 2,50 na tarifa que deveria entrar em vigor no dia 1º de outubro. A principal reivindicação era o aumento na frota de ônibus.o TJ concedeu liminar suspendendo o aumento em resposta a ação popular que ainda tramita na corte.