Estado

Foto: Divulgação

As comunidades do povoado de Porto Espírito Santo e do Assentamento Jataí no município de Paranã, receberam as cestas básicas do governo do Estado, a pedido da Defesa Civil após constatarem que 28 famílias estão sendo atingidas pelo aumento do lençol freático em decorrência da elevação do nível da água do Rio Paranã.

A entrega foi feita nesta quinta-feira, 12, pela Defesa Civil em parceria com a Secretaria do Trabalho e da Assistência Social. Segundo a Defesa Civil as casas das famílias apresentam rachaduras e infiltrações, o que inviabiliza a permanência das mesmas no local. Cinco famílias, já foram alojadas em prédios da prefeitura de Paranã, mas segundo a prefeita, Edymêe Cassia Tocantins, algumas famílias ainda resistem em permanecer nas suas casas mesmo sabendo do risco que desabamento.

Dona Isabel Bispa, 68 anos é moradora do povoado de Porto Espírito Santo há 20 anos e agora está correndo o risco de perder a sua casa, que apresenta rachaduras. “Sei que a minha casa pode cair, mas estou por aqui até quando Deus quiser”, enfatizou Dona Isabel.

O senhor Benício Dias da Rocha, 58 anos também morador do povoado há 30 anos recebeu a cesta básica. Benício está desempregado e disse ganhar alguns trocados com serviços esporádicos. Segundo ele, não está dando conta de trabalhar no pesado por causa de uma dor no joelho. Se diz agradecido pela ajuda do governo, que irá para ele e os dois filhos.

De acordo com a defesa civil as cesta básicas servirão para amenizar em parte o sofrimento das famílias, que se faz necessário devido a precariedade do município.

Foram entregues 412 cestas básicas para o atendimento das famílias atingidas pelo alagamento e para as famílias em situação de vulnerabilidade social do município.

De acordo com o secretário do Trabalho e da Assistência Social, Agimiro Costa, a determinação do governador Siqueira Campos é de que as ações de atendimento às famílias atingidas pelas enchentes no Tocantins sejam rápidas. “Devemos atender todas as famílias que sofrerem com os alagamentos no estado, estamos atentos e sempre aguardando os pedidos emergenciais sinalizadas pela Defesa Civil, para que nenhuma família atingida fique de fora da distribuição de cestas de alimentos, que é tão necessária nessa situação”, completou o secretário. (Ascom Setas)