Economia

Foto: Divulgação

Janeiro é o mês de comprar material escolar. E para auxiliar a comunidade a adquirir produtos acessíveis e de qualidade o Núcleo de Defesa do Consumidor – NUDECON, da Defensoria Pública do Tocantins, preparou dicas especiais para orientar os consumidores na hora da compra e aproveitar, de forma segura, as ofertas.

Dentre as orientações está fazer pesquisa de preço para ajustar os gastos ao orçamento do consumidor. Consultar diversos pontos de venda, como: papelarias, depósitos, lojas virtuais, lojas de departamento, entre outros. É necessário ainda confirmar junto à escola se toda a lista é mesmo necessária; verificar quais os produtos você já possui em casa, e que podem ser reaproveitados, inclusive os já utilizados por outra criança. Promover e participar da trocavde livros didáticos com pais que possuem filhos em idade escolar diferente.

Ainda, orienta-se aos pais se reunirem para uma compra coletiva, sendo que alguns estabelecimentos concedem bons descontos para aquisições em grande quantidade. Atenção para a compra em vendedores ambulantes: o preço pode ser menor, mas não há emissão de Nota Fiscal e muitas vezes os produtos não possuem certificação do órgão responsável.

Ressalta-se que nem sempre o material mais sofisticado é o de melhor qualidade ou o mais adequado. Em geral, materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados apresentam preços mais elevados. É importante colocar que a escola não pode: solicitar a compra de materiais de uso coletivo, tais como material de higiene e limpeza ou taxas para suprir despesas com água, luz e telefone; exigir a aquisição de produtos de marca específica; e determinar a loja ou livraria onde o material deve ser comprado. (Ascom Defensoria Pública)