Cursos & Concursos

Foto: Divulgação A gerente de projeto Sociais do Ceste com o senhor Carloman Souza A gerente de projeto Sociais do Ceste com o senhor Carloman Souza

Foi finalizada mais uma capacitação ofertada pelo Consórcio Estreito Energia (CESTE) em parceria com a Prefeitura Municipal de Babaçulândia e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Tocantins (SENAR-TO). A finalidade é potencializar o corte do babaçu no Município de Babaçulândia por meio de um método seguro e produtivo, gerando renda para os empreendedores do município.

Além de estimular uma produção independente e direcionada à extração do babaçu, matéria prima abundante na região, o Ceste apoia e incentiva os quebradores de coco de babaçu da região, por meio também de sua capacitação. O curso de manuseio, manutenção e segurança da máquina de corte do coco babaçu possibilitou aos artesãos um trabalho mais dinâmico e organizado, incentivando a formação de cooperativas e associações, sistematizando todo o trabalho realizado.

A gerente de Projeto Sociais do Ceste, Lorena Durão, citou o babaçu como matéria prima de grande importância para muitas famílias não só do Tocantins e do Maranhão, como de outros estados do Brasil; por isso o empenho do Ceste em levar até estas comunidades ferramentas que colaborem com a qualificação profissional. “Sabemos que a execução de capacitações e a disponibilização dos instrumentos adequados vão melhorar ainda mais a vida dos moradores da cidade”, comenta. Para a gerente, a finalidade é buscar a independência das pessoas do município, incentivando e divulgando o empreendedorismo de cada um.

A prova do empreendedorismo está nas atividades exercidas durante a capacitação. O resultado foi um criterioso método de fabricação e vendas dos produtos, como bolsas, colares, pulseiras, chaveiros, entre outros artefatos, confeccionados pelos artesãos. Alguns destes itens já vêm gerando lucro para os pequenos empresários. “Eu me encantei em saber que tinha o dom para fabricar produtos provindos do babaçu. Estou mais feliz ainda por já ter como aumentar minha renda. Dos produtos que eu fiz, não existe mais nenhum. Todos foram vendidos”, disse Maria Lúcia Lima, conhecida popularmente como Lúcia Baiana, de 54 anos, artesã.

O prefeito de Babaçulândia, Alcides Filho Rodrigues, presente no encerramento da capacitação, disse que há no município centenas de trabalhadores no extrativismo do babaçu. Segundo o administrador público, o projeto vai beneficiar várias famílias, além de auxiliar na economia da cidade. "Trata-se de um grande avanço, porque a extração do babaçu começou a ser valorizada. Isso é o resultado do incentivo dado pela parceria do Ceste, da Prefeitura Municipal e do Senar”, ressalta o prefeito.


Destaque

Reconhecendo o esforço e empenho dedicado pelos alunos da turma durante a capacitação, o Ceste, junto a seus parceiros, entregou os certificados de conclusão do curso de corte do coco babaçu. Em meio às mulheres, seu Carloman Souza Mendes, de 50 anos, foi o único homem a participar da capacitação. “Eu me senti lisonjeado em ser um dos primeiros homens do município a aderir à técnica dos treinamentos. Aproveito aqui para parabenizar o Ceste e pedir para que novos cursos sejam realizados em Babaçulândia”, disse.

Capacitação

Além da capacitação, o Ceste doou uma máquina de manusear o coco para a Prefeitura Municipal de Babaçulândia, que ficará disponível aos artesãos no “Espaço Babaçu e Arte”. O local foi construído e doado pelo Ceste aos artesãos do município que trabalham com coco babaçu e demais recursos naturais existentes na região. A máquina conta com um torno de bancada que tem a função de fatiar o coco; uma furadeira para realizar o design das peças; uma lixadeira para polir; e uma cortadeira, equipamento responsável pela variação das medidas dos produtos fabricados.

O maquinário doado pelo Ceste gera um aproveitamento de 100% do babaçu na hora do corte do produto. Além de proporcionar segurança aos cortadores e expandir a produtividade, evitando os desperdícios, a máquina facilitará a lapidação das peças durante o processo de produção.

Do Espaço Babaçu e Arte

O espaço busca melhorar a qualidade de vida das famílias de quebradores do coco babaçu, artesãos, produtores rurais e de toda comunidade da região, por meio do desenvolvimento pessoal, da qualificação profissional e comercial, incentivando o empreendedorismo dos habitantes da região.