Educação

Foto: Elias Oliveira

Cerca de 80 profissionais da rede estadual de Educação do Tocantins participam, nesta quinta-feira, 26, do 1º Encontro das Escolas do Ensino Médio Inovador, que acontece na Escola de Governo, em Palmas. O evento, realizado pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc) tem como objetivo apresentar o programa do Ministério da Educação (MEC) e elaborar o projeto de reestruturação do Ensino Médio no Estado com a participação das escolas e Diretorias Regionais de Ensino.

O programa Ensino Médio Inovador, criado em 2009, será implantado este ano no Tocantins em 24 escolas. Aderindo ao programa a intenção do governo do Estado é fortalecer as propostas curriculares inovadoras nas escolas de Ensino Médio. “É uma nova proposta onde o diálogo é mais próximo da juventude, respeitando às expectativas e especificidades dos estudantes. O programa sugere a articulação da teoria e prática, entendendo que os espaços de aprendizagem não se limitam aos muros das escolas, aproveitando os projetos já existentes na unidade e inserindo novas ações”, explica a Diretora do Ensino Médio da Seduc, Larissa Ribeiro.

Entre as novidades está a ampliação do tempo dos estudantes na escola e em atividades externas com a inserção dos mesmos em ações e projetos nas diversas áreas do conhecimento a partir de oito macrocampos: Acompanhamento Pedagógico; Iniciação Científica e Pesquisa; Cultura Corporal; Cultura e Artes; Comunicação e uso de Mídias; Cultura Digital; Participação Estudantil e Leitura e Letramento.

Para a reestruturação curricular as escolas receberão ainda apoio técnico e financeiro através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) para a elaboração e o desenvolvimento de seus projetos, o que representa um grande incentivo para as unidades escolares. “Com essa nova proposta e tendo auxílio financeiro para o custeio dos projetos, a escola e, mais ainda, os alunos vão ter um ganho enorme, principalmente na parte diversificada, que já é trabalhada na escola de tempo integral, mas, com esse apoio e os recursos, teremos mais condições para dinamizar as aulas, proporcionando para os alunos, acima de tudo, mais conhecimento”, comemora Cristiane Cattony, diretora do Colégio Girassol de Tempo Integral Rachel de Queiroz, de Palmas.

Com a implantação do Ensino Médio Inovador, o montante destinado às escolas do Tocantins para a execução dos projetos pode chegar R$ 100 mil por unidade de ensino, dependendo da quantidade de alunos matriculados e da jornada escolar.

Programação

No segundo dia do encontro, os gestores escolares, professores e técnicos da Seduc, participam de uma formação com a técnica do MEC, Verônica Pessoa de Carvalho, que veio ao Tocantins para reforçar os conceitos do programa e capacitar os participantes para o uso do Simec, Sistema de Informação do MEC, onde as escolas deverão inserir os projetos do Ensino Médio Inovador.

“Essa discussão preliminar sobre o projeto é importantíssima para a implantação dele no Estado. A ideia é redescobrir a identidade do Ensino Médio, que está espremido entre o Fundamental e o Superior, e que carrega essa marca de ser projetado para o Ensino Superior, o que acaba tirando a sua importância. Com o Ensino Médio Inovador as escolas têm essa possibilidade de se reinventar e oferecer um currículo rico, com projetos que sejam executados pelos alunos, para que eles façam a diferença. É a escola se abrindo, envolvendo alunos e comunidade e, principalmente, assumindo uma nova postura de produção de conhecimento”, pontua Verônica. (Ascom Seduc)