Economia

Foto: Divulgação

Por não constar indicação quantitativa nas embalagens a Operação Carnaval reprovou 56% dos 52 itens analisados pelos fiscais do Instituto de Pesos e Medidas do Tocantins (IPEM-TO). Os produtos periciados no laboratório do próprio órgão foram miçangas, balões, fitas, rendas e botões decorativos e lantejoulas.

O metrologista do Ipem, José Carlos Quaresma, explicou que o foco da operação foram os produtos comercializados em armarinhos, e para comprovar se as informações de quantidade estavam corretas. “Notamos que nas embalagens dos botões e miçangas não estava especificadoo número deunidades”.

No caso das fitas, os fiscais constaram em uma das unidades cinco metros a menos do que estava sendo informado. Os estabelecimentos foram autuados, e com prazo de 10 dias para apresentarem justificativa. Os exames foram concluídos nesta quinta-feira, 16.

Por: Redação

Tags: Ipem, José Carlos Quaresma