Polí­tica

Foto: Divulgação

Os deputados estaduais foram convocados para sessão extraordinária na tarde desta sexta-feira, 24. A informação foi confirmada pela assessoria do presidente Raimundo Moreira.

Segundo o líder do governo, Osíres Damaso (DEM) na pauta está apenas um empréstimo junto à Caixa Econômica que será necessário para convenio entre o governo federal e Estado para pavimentação asfáltica nas rodovias do Estado.

Tanto o líder do governo como a assessoria do presidente negaram que haja intenção de colocar em apreciação as contas consolidadas de 2009 dos ex-governadores Marcelo Miranda e Carlos Gaguim.

Os deputados estaduais Sargento Aragão (PPS) e Eli Borges (PMDB) foram recebidos pelo presidente da Assembleia Legislativa na manhã de hoje para articulação de realização da sessão extra para votação de projeto do executivo que visa a contratação de financiamento junto à Caixa Econômica Federal para pavimentação asfáltica das quadras 307, 309 e 407 Sul, em Palmas. A sessão extraordinária será realizada nesta sexta, às 14h.

Acompanharam os parlamentares o vice-presidente da Associação dos Moradores da 309 Sul, Jocelino Mendes da Silva Jr., o diretor de comunicação da associação, Leonardo Barcelos,além dos moradores da quadra, Manoel Marinho e Alexandre Barbosa.

De acordo com o deputado Sargento Aragão (PPS), a votação é urgente devido ao curto prazo, já que o projeto deve ser aprovado e estar no Comitê Gestor da Caixa Econômica Federal até o dia 05 de março. “No Parlamento as questões sociais estão acima das partidárias, por isso contamos com a presença dos parlamentares para aprovar a matéria e também reconhecemos o empenho do presidente da Casa, o deputado Raimundo Moreira pela compreensão e por convocar a sessão”, destacou.

Para o vice-presidente da Associação dos Moradores da 309 Sul, Jocelino Mendes, a reunião foi muito positiva. “Agradecemos o apoio dos parlamentares que alteraram a pauta e vão realizar uma sessão extra para aprovar o projeto em regime de urgência”, pontuou.

O projeto de lei foi aprovado ainda no mês de agosto do ano passado, mas retornou à Assembleia Legislativa já que o executivo não incluiu na lei as garantias necessárias para aprovação dos empréstimos. (Com informações da Assessoria do Sargento Aragão)