Economia

A maioria dos brasileiros concorda que o ano só começa depois do carnaval e no comércio isto pode ser sentido por meio do aumento das vendas nesse período. Como prova dessa constatação, em recente pesquisa disponibilizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC, foi detectado um aumento de cinco pontos no índice de consumo das famílias em Palmas, com relação ao mês de fevereiro. Além disso, outro dado animador da pesquisa, é que a perspectiva para o consumo está 58,2% maior do que o segundo semestre do ano passado.

Para o presidente da Fecomércio Tocantins, Hugo de Carvalho, a pesquisa mostra que o setor de comércio continua estável e não sofre grandes alterações com a crise mundial. “A economia no país está num período mais tranquilo e até agora o comércio não sentiu tanto os reflexos das incertezas econômicas mundiais. Como habitual, no início do ano, principalmente no mês de fevereiro, as vendas tendem a cair. Mas, os dados da pesquisa mostram que o mês de março registrará um acréscimo para os comerciantes, compensando o mês anterior”, disse o presidente.

Levando em consideração dados do mesmo período no ano passado, 79,8% das famílias acreditam que estão mais seguras com relação ao emprego atual, 50,2% avaliam como positiva sua perspectiva profissional e 76% estão com sua renda atual melhor.

Esses fatores podem influenciar o mercado conforme explica o economista, Claudiney Leal. “A recomposição do salário mínimo está sendo primordial para o país, o que resulta no aumento do acesso ao crédito dos brasileiros. É importante ter renda para o consumidor poder comprar e se endividar, porque tudo o que é produzido, precisa ser consumido. A pesquisa do Conselho Regional de Economia sobre cestas básicas também aponta um aumento na renda, o que comprova esse dado da ICF”, ressaltou o economista.

Na pesquisa foi apontado ainda que 38,2% dos entrevistados continuam comprando a mesma quantidade que no ano passado, 32,6% estão comprando mais e 28,6% estão comprando menos que em março de 2011. Já no tipo de compra, 67% acreditam que é um bom momento para a aquisição de bens duráveis, principalmente as famílias com renda total acima de dez salários mínimos.

Sobre a pesquisa

A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias - ICF tem como objetivo produzir um indicador inédito com capacidade de medir, com a maior precisão possível, a percepção que as famílias têm sobre seu nível futuro de propensão a consumir em curto e médio prazo. Em outras palavras, um indicador antecedente de vendas do comércio, a partir do ponto de vista das famílias e não por uso de modelos econométricos, tornando-o uma ferramenta poderosa para o varejo, fabricantes, consultorias e instituições financeiras. 500 famílias foram entrevistadas no município de Palmas em fevereiro. (Ascom Fecomércio)