Geral

Foto: Divulgação

Afim de homenagear as 53 mulheres que atuam na corporação, o Corpo de Bombeiros mostra neste mês de março, quando é comemorado o Dia Internacional da Mulher, a história da jovem sargento, Gisely Amarante Lopes, pedagoga de formação, mas bombeiro de profissão.

Gisely atua na corporação há oito anos, em trabalho operacional, como socorrista, ou seja, atendendo o chamado da população as ocorrências ligadas a emergência hospitalar e primeiros socorros. A sargento também é mergulhadora e capacitada para o combate incêndio florestal.

Não diferente da história de muitas mulheres, Gisely se considera uma mulher vitoriosa, independente emocional e financeiramente. A bombeiro de 33 anos é mãe de uma menina de nove anos, divorciada e ainda sonha em ser psicóloga. Além de gostar do que faz e do trabalho que o bombeiro realiza pela população, Gisely ressalta que “fazer o bem faz bem para quem ajuda”. Recentemente Gisely foi eleita como presidente da Associação dos Bombeiros.

Com uma infância rica de brincadeiras, peraltices e hiperatividade, a sargento se considerava uma menina danada e birrenta, mas convicta e decidida. Qualidades que segundo ela foram e são fundamentais até hoje na sua profissão, foi essa personalidade que desde o começo sempre a ajudou a impor-se perante aos colegas homens e a fez capaz de realizar todas as atividades como bombeiro e mesmo sendo mulher e vaidosa.

Gisely é a caçula de uma família de oito irmãos, mineira de nascimento, natural da pequena cidade Manga. Sua formação sempre foi no ensino público. Ela é fruto de um casal mineiro perseverante que tem uma história conjugal de mais de 50 anos de cumplicidade.