Polí­tica

Foto: Divulgação

Em pronunciamento feito já no final da manhã desta terça-feira, 13, na Assembleia Legislativa do Tocantins, o deputado Stálin Bucar (PR), ao criticar a situação da Saúde Pública do Tocantins, bateu duramente em Siqueira Campos (PSDB) e acusou o governador de latrocínio, que de acordo com o código penal, é roubo seguido de morte.

Em seu discurso com tom de acusação, o deputado, assim como havia feito sua colega de parlamento, Josi Nunes (PMDB), criticou a alta rotatividade na Secretaria Estadual da Saúde e, de antemão, já atacou o quarto titular da pasta, Nicolau de Carvalho Esteves. De acordo com Stálin, Esteves teria deixado de apresentar conhecimento suficiente, quando questionado pela imprensa. “Quando a repórter perguntou a ele sobre o HGP, ele disse que já tinha ido la quando visitou Palmas há muito tempo”, criticou.

Ainda incisivamente, o deputado, sem temer qualquer tipo de processo judicial, foi claro ao acusar o governador de latrocínio, por conta da situação da saúde pública do Tocantins. “Isso é roubo seguido de morte. Ele (Siqueira Campos) disse que se não roubar e não deixar roubar, ele resolve o problema. Então ele está roubando ou deixando roubar, por que a situação só piora”, acusou.

E o deputado ainda foi além. Citando a situação do Hospital Geral de Palmas, Stalin destacou as recentes notícias de mortes nos corredores dos centros de saúde e, mais uma vez, acusou o governador. “Deixar crianças e velhos morrerem só por serem pobres é um absurdo”, atacou.

Já o deputado governista, José Bonifácio (PR), destacou que o governador, nesse pouco mais de um ano de gestão, tem se esforçado para melhorar a saúde “precária” do Estado. O deputado ainda minimizou as mortes citadas pelo seu correligionário da oposição. “A pessoa entra no hospital já por que tem problemas de saúde. Não se pode culpar um governo por todas as mortes nos hospitais”, completou.