Campo

Foto: Divulgação

“Meu marido ajuda em tudo, mas quem determina as coisas aqui na chácara sou eu mesma”. Assim definiu Sirlei Oliveira Alves, 58 anos. As palavras provocaram um silêncio por alguns instantes na varanda da casa, de repente uma sonora gaitada e pequenos movimentos de cabeça, como se estivesse confirmando aquela afirmação da esposa, ecoou em meio a todos que presenciavam a entrevista. Era seu João Alberto Alves Ferreira, 65 anos de idade, mineiro de Uberlândia reconhecendo a dedicação da companheira.

Na propriedade de 96.8 hectares localizada a 3 km de Fiqueirópolis. A família do seu João Alberto produz um pouco de tudo: Mandioca para a produção de farinha seca e de puba, criação de frango caipira melhorado, suínos, leite para produção de queijo e requeijão, hortaliças e até criação de coelhos. Tudo vendido na região. Além das 150 cabeças de gado.

Seu João Alberto diz que toda a produção de hortaliças é entregue em supermercados e feiras da cidade, além da venda que é feita na chácara. “Entregamos toda semana farinha e hortaliças, a farinha é feita por duas vezes ao mês chegando a produzir cerca de 200 litros mensais, e, se produzir mais, vende mais”. Disse o pequeno produtor.
“Alface, cheiro verde, jilós, quiabo e couve-flor, só de verduras chegamos a faturar cerca de 300 a 400 reais por mês”. Dona Sirlei Oliveira afirma, ainda, que todos trabalham, todos produzem de tudo e que não tem como ser diferente porque não se encontra gente prá trabalhar.

O apoio do Ruraltins

Primeiro é feita uma avaliação para se conhecer a demanda da família, o que pensam o que querem produzir e as principais necessidades. São elaborados os projetos e a partir daí os produtores são orientados como devem proceder. A supervisão técnica é feita periodicamente, dentro das necessidades do produtor.

O casal reconhece a importância do apoio técnico que o Ruraltins tem dado no desenvolvimento de todas as culturas na propriedade. “Temos muito apoio do Ruraltins, somos orientados em tudo, graças a Deus, só temos a agradecer, parte da qualidade dos nossos produtos se deve as orientações que recebemos do Ruraltins”, diz dona Sirley.

Para André Verzola Neto supervisor do Ruraltins em Gurupi, a meta é o fortalecimento da agricultura familiar visando a fixação do homem no campo. “Como a família do seu João, só na regional sul são atendidas 2.181 famílias, dando a elas apoio técnico e direcionando-os a adequada categoria de financiamentos”. Andre diz ainda que esse trabalho evita o êxodo rural e seus efeitos nocivos à sociedade.

“Os frangos caipira melhorado geralmente são destinados a compra direta, já vendemos farinha, frango, arroz, abóbora, mandioca, porco, tudo que sobra é entregue”. Destaca Seu João Alberto.

A chegada da família na região


A história de Seu João Alberto Alves Ferreira e Sirlei Oliveira Alves teve início em 1971 em Uberlândia quando se casaram. Em 1976 resolveram investir em terras no antigo norte de Goiás e foi morar numa propriedade que havia comprado no Morro do Amaral a 35 km de Fiqueirópolis. Não satisfeito com o lugar resolveu vender e comprar a chácara que hoje moram, bem mais perto da cidade.

Atualmente o casal tem três filhos: Wellington Oliveira Alves, 39 anos, Elaine de Oliveira Alves, 36 anos e Eliana Maria de oliveira Alves, 30 anos, que já lhe deram quatro netos, esperando a chegada de mais um.

Após duas horas nossa equipe deixou a propriedade do casal João Alberto e Sirley com forte sensação de que quando se quer alguma coisa podemos conseguir, basta ter um pouco da coragem do casal, por a mão na massa que o resultado virá com certeza. A fé também se faz presente no seio da família. Quando passamos pela porteira, de volta para casa, olhei para trás e vi na frente da propriedade uma capelinha com a imagem da santa protetora como se ela estivesse nos abençoando também. (Ascom Ruraltins)