Palmas

Foto: Divulgação

Os representantes do Comitê contra Expansão Urbana da capital e a favor da regularização fundiária definiram algumas ações que serão desenvolvidas a partir da segunda reunião que aconteceu na Câmara de Palmas nesta terça-feira, 27 á noite. Um abaixo-assinado continua coletando assinaturas a favor da regularização fundiária na capital.

O grupo pretende ainda ouvir moradores de algumas regiões da cidade sobre a possível expansão do plano diretor e ainda assim visitar algumas quadras e outros locais de concentração popular buscando adesão popular ao Comitê e realizando plenárias.

Para o comitê, a ampliação do perímetro urbano também aumentaria o custo de serviços como à passagem de transporte coletivo as taxas de iluminação e coleta de lixo para os moradores da Capital.

O prefeito Raul Filho (PT) também deverá receber os representantes do Comitê que vão sugerir ao gestor que retire da Casa de Leis os projetos complementares, apresentados ano passado, que tratam do plano diretor. O grupo pretende ainda provocar uma discussão sobre o tema no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação.

Além de representantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia e do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) a segunda reunião contou com participação de integrantes da Universidade Federal do Tocantins, do Centro de Direitos Humanos de Palmas e ainda da Associação de Engenheiros e Arquitetos da Caixa Econômica Federal bem como outras instituições de movimento social. No âmbito político marcaram presença o vereador petista Bismarque do Movimento e líderes do PP de Palmas.

O Comitê se organiza também para participar das audiências públicas que vão discutir o relatório aprovado pelos vereadores sobre o tema nos dias 18 e 25 de abril.