Estado

Foto: Divulgação

A Usina Hidrelétrica Estreito (UHE Estreito), localizada na divisa dos Estados do Maranhão e Tocantins, iniciou 2012 em ritmo acelerado na produção de energia. Cinco turbinas, ou seja, mais da metade das suas unidades geradoras, já estão em pleno funcionamento. O empreendimento, que começou a gerar energia no início de 2011, prevê para o segundo semestre deste ano a operação comercial de todas as suas oito Unidades Geradoras. Isso representará uma potência instalada de 1.087 megawatts de energia, capacidade o suficiente para abastecer uma cidade com quatro milhões de habitantes, o que contribuirá de maneira significativa para a melhoria do atendimento à demanda da matriz energética do Brasil.

Com cinco anos de resultados positivos alcançados, o Consórcio Estreito Energia – CESTE, responsável pela implantação e operação da usina, intensifica agora suas ações de planejamento para a segunda fase da obra, referente à montagem eletromecânica da usina.

O gerente Geral de Obras do CESTE, Adalberto Rodrigues, avalia de maneira positiva o cumprimento dos prazos e ações realizadas pelo Consórcio nessa primeira fase de atuação. De acordo com ele, as obras civis da Usina de Estreito foram concluídas no final de 2011, o encerramento da conclusão da etapa de concretagem (concreto em massa). Segundo Adalberto, a novidade na obra é que a sexta Unidade Geradora deve entrar em funcionamento até junho, ficando apenas duas turbinas a entrarem em operação comercial até o fim do ano. “Do final do ano passado para o início de 2012, tudo foi intensificado. A previsão é que a UHE Estreito esteja com as suas oito unidades geradoras em operação até o final do ano”.

Para tanto, foram injetados recursos na ordem de R$ 4 bilhões na Usina Hidrelétrica Estreito, por parte do CESTE, Consórcio que é constituído pelas empresas GDF Suez, Vale, Alcoa e Camargo Corrêa Energia.

Vale ressaltar que, nas obras civis da UHE Estreito, foram utilizados aproximadamente 980 mil metros cúbicos de concreto.

Desenvolvimento

além do seu potencial de produção energética, o Consórcio vem desempenhando ainda um importante papel no desenvolvimento socioeconômico da região. Ao longo desses cinco anos, o CESTE gerou mais de 22 mil empregos diretos e indiretos. O volume de profissionais no mercado de trabalho local gerou movimento positivo na economia dos municípios, especialmente em relação à criação de novos empregos, com o consequente aumento na renda das famílias. O setor hoteleiro e o comércio local são bons exemplos desse dinamismo.

Com uma política voltada para o desenvolvimento sustentável da região e o respeito às comunidades de sua área de abrangência, o CESTE realizou, ao longo da implantação da Usina, uma série de ações sociais para as comunidades locais. Os benefícios realizados vão da capacitação e incentivo profissional, à emissão de documentos, tais como identidade, CPF e Carteira de Trabalho, se estendendo a obras de urbanização e melhoria da infraestrutura em toda a região, incluindo a construção de áreas de lazer e entretenimento para a comunidade. (Ascom UHE Estreito)

Por: Redação

Tags: Adalberto Rodrigues, CESTE, UHE Estreito