Polí­tica

Foto: Divulgação

Depois de todas as discussões, na sessão extraordinária da tarde de ontem, a reunião parlamentar na manhã desta quarta-feira, 11, na Assembleia Legislativa do Tocantins foi tocada às pressas pelo presidente da Casa, deputado Raimundo Moreira (PSDB). A medida não causou estranheza por conta do prazo das vistas pedidas pelo deputado Sargento Aragão (PPS) na noite de ontem, nos cinco projetos encaminhados pelo governo que tratam do estatuto e estrutura da Polícia Militar.

Além de Aragão, os deputados Raimundo Palito (PP) e José Bonifácio (PR) também pediram vista com conjunto. O prazo para entregar o parecer é de 24h e encerra por volta das 19h de hoje. Contudo, a novela da PM ainda promete prolongar, por conta do aviso do deputado Eli Borges (PMDB) de que iria pedir vistas novamente dos projetos ainda hoje. Caso isso aconteça, a votação fica adiada para a sessão de amanhã.

E o limite de tempo não deve passar disso, se depender do presidente da AL. Após encerrar a sessão desta manhã, Moreira, em conversa acalorada com o líder de governo e relator das matérias, Osires Damaso (DEM), chegou a comentar que a intenção é votar estas matérias amanhã, nem que seja preciso abrir uma sessão extraordinária à meia noite.

A determinação da bancada governista foi confirmada pelo deputado do DEM que frisou ainda que acredita que a oposição irá segurar mais uma vez os projetos e já apontou a previsão para votar a matéria amanhã. “Ainda vai ter sessão à tarde e corre o risco de ter mais pedido de vistas. Mas amanhã, na hora que eles (oposição) devolverem (os projetos), nós vamos botar para votar”, salientou.