Estado

Foto: Divulgação

Em outubro de 2011, o Aeroporto de Araguaína teve suas operações suspensas por razões de segurança e devido às reformas em sua pista de pousos e decolagens, e deveria ter sido liberado no dia 22 de janeiro deste ano, mas a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) reprovou as adequações com base no relatório técnico que avaliou problemas de drenagem na pista e nas condições estruturais, determinando novas reformas na pista de pouso.

Nesta sexta-feira, 13, o superintendente de Energia e Transportes da Seinfra-TO, Euclides da Costa Andrade, o ex-secretário de Indústria e Comercio de Araguaína, Nahim Halum, o representante da secretária de representação do estado de Tocantins em Brasília, Francisco de Assis, e o agente aeroportuário, José Antonio (Dragão), estiveram em audiência com o superintendente de Infraestrutura Aeroportuária, Fábio Faizi Rabbani, e demais técnicos de segurança da Anac em Brasília. Na ocasião, as autoridades responsáveis pelo processo de reabertura do Aeroporto de Araguaína, entregaram ao órgão regulador todos os laudos e notas técnicas pedindo a reabertura do aeroporto.

No pedido de reabertura, foi citada a implantação de uma nova camada na pista de pousos e decolagens (micro revestimento), para que seja solucionado o problema de drenagem. Ficou estabelecido o prazo de 5 meses para a conclusão da obra, enquanto isso o aeroporto estaria liberado para operar dentro das condições anteriores às obras.

O deputado federal César Halum (PSD), que junto ao senador Vicentinho Alves (PR) vem trabalhando pela liberação rápida do aeroporto, frisou que o papel do Governo do Estado e da Prefeitura de Araguaína foi feito, porém criticou as exigências da Anac. “Para a liberação da pista precisávamos nos adequar a Anac e essa fase foi concluída, embora entendo que a Anac comparou o Aeroporto de Araguaína com o do Galeão (RJ) e o de Guarulhos (SP), sendo que nossos voos são visuais, não operamos por instrumento e não temos voos noturnos. Agora vamos aguardar a analise dos documentos. Espero fielmente que dentro do prazo estipulado pela agencia reguladora nós tenhamos de volta o Aeroporto de Araguaína em pleno funcionamento. Araguaína depende muito disso, já são seis meses de paralisação, e por mais que seja temporária, vem causando grandes prejuízos à competitividade comercial, a população e aos municípios circunvizinhos. Estarei toda semana na Anac cobrando esta liberação”, asseverou.

A diretoria da Anac, estima que entre o final de abril e o inicio de maio todos os relatórios já terão sido avaliados e o Aeroporto de Araguaína voltará a operar. (Ascom César Halum)