Saúde

Foto: Marcio Greick

A Prefeitura de Porto Nacional, através de sua assessoria de comunicação, informou ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 16, que todos os animais mortos depositados no prédio interditado da Funasa, na cidade, já foram retirados. Além disso, de acordo com a gestão municipal, o lote onde foram encontrados os animais sacrificados, já foi limpo e higienizado.

De acordo com a assessoria da Prefeitura de Porto, a prefeita Teresa Martins (PDT) recebeu com surpresa a notícia de que os animais sacrificados por contaminação de Calazar haviam sido simplesmente jogados no prédio interditado. Conforme explicado ao Conexão Tocantins, há anos o Ministério Público mandou lacrar a área do edifício da Funasa e, por isso, a desatenção com o local. “Quando o Ministério Público interditou, o prédio estava tudo limpo e organizado”, de acordo com a ascom da Prefeitura.

A entidade responsável pela coleta e sacrifício de animais contaminados com o Calazar, é o Centro de Controle de Zoonoses, entidade ligada à Prefeitura através da Secretaria Municipal da Saúde. O local adequado para este tipo de descarte é o aterro sanitário municipal e, ainda sim, seguindo uma série de determinações para evitar contaminação posterior.

Medidas

Conforme explicado pela Prefeitura, a Secretaria Municipal de Saúde já foi notificada sobre a situação e a partir desta semana inicia o processo de investigação para descobrir o responsável pelo depósito irregular dos animais no terreno. Segundo informado, a Prefeitura irá tomar medidas administrativas no sentido de punir o culpado.