Polí­tica

Em ofício encaminhado nesta segunda-feira, 16, ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Raimundo Moreira (PSDB), as associações de Cabos e Soldados da PM (ACSTO) e de Soldados do Corpo de Bombeiros (ASPMETO) do Estado solicitaram que os parlamentares rejeitem os projetos de Lei de autoria do governo que tratam da estrutura e do estatuto da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o documento assinado pelo presidentes das associações, Major Chaves e Geovane Alves dos Santos, a aprovação dos projetos da PM seria um retorno ao período mais crítico pelo qual a democracia já passou. "Dessa forma, não temos como as Entidades permanecer no silêncio e anonimato, em prol de Projetos de Leis, sem novidade no seu bojo, já que, a maioria dos benefícios são produtos de leis revogadas”.

No ofício endereçado ao presidente da Casa de Leis, os militares ainda cobram do governo compromissos de campanha firmados durante as eleições de 2010. "Sem perder de vista, as exigências de habilidades e competências do Governante e Parlamentares, em saber reconhecer os verdadeiros profissionais de Segurança Pública, digno de tratamento humano e valorização dos militares e seus familiares”.

Na ocasião, as associações dos militares ainda acusaram o governo de tentar calar os policiais que reivindicam, desde a última semana, as alterações nos projetos de leis travados na Casa, depois da obstrução feita pela bancada de oposição."Se a idéia é suprimir direitos e calar os militares para não reclamarem e nem reivindicarem é porque com certeza irá sobrecair em outras categorias e no povo do Estado do Tocantins, pois não vamos poder reclamar da saúde, da segurança, da educação e demais áreas que possam afligir diretamente o nosso povo tocantinense”, diz o documento.