Estado

Foto: Divulgação

Os representantes dos Movimentos dos Sem Terra e dos Atingidos por Barragens que estão à frente do Acampamento Sebastião Bezerra comemoraram a decisão do desembargador Daniel Negry, do Tribunal de Justiça que derrubou a liminar que pedia retirada das mais de 800 famílias que estão acampadas na TO-050 há um ano.

A liminar concedia a reintegração de posse da área para o Estado e foi expedida pelo juiz Ademar Chúfalo da 1ª Vara Cível da Comarca de Porto Nacional. Na argumentação de Negry consta a preocupação com a situação que as famílias vivem no local mas segundo o desembargador a retirada imediata poderia gerar um problema social ainda maior.

Segundo informaram líderes dos movimentos ao Conexão Tocantins nesta sexta-feira, 20, uma reunião com representantes do Incra e do Ministério Público Federal vai começar a discutir a situação das famílias. O Incra informou que as famílias já estão cadastradas para serem assentadas.

O Estado alegou na ação que provocou a liminar que os assentados estão causando prejuízos ambientais na área e que estariam inclusive poluindo o Córrego Xupé. A Procuradoria Geral do Estado é a responsável pela Ação.

Os acampados fizeram várias manifestações tentando evitar o despejo já que o prazo para a retirada das famílias de acordo com a liminar era de 15 dias.