Estado

O Instituto de Pesos e Medidas do Tocantins (IPEM-TO) iniciou nesta segunda-feira, 30, operação inédita no Estado. Uma equipe da qualidade do Órgão visitou estabelecimentos comerciais na Capital, e recolheu amostras de produtos têxteis para comprovar se a indicação da composição enunciada corresponde é a mesma do produto. As amostras serão enviadas para laboratório no Paraná.

O presidente do IPEM-TO, Parrião Júnior, frisa que esta nova frente da fiscalização da qualidade é mais uma das ações que serão executadas neste ano. “Nosso compromisso é fiscalizar para oferecer produtos de qualidade a população. E, quanto mais os fabricantes se adequarem mais teremos uma concorrência de mercado justa”, disse.

A operação será de rotina, e se estenderá a todo o Estado. E, caso o resultado dos exames comprovem algum erro o fabricante será autuado, porém, se o lojista não apresentar as notas fiscais dos produtos também receberá notificação.

Entenda

Os produtos têxteis, tais como as peças de vestuário, as roupas de cama, mesa e banho, as cortinas, os tapetes etc., são constituídos por fibras. Essas fibras apresentam diferentes propriedades e, é claro, preços diferentes.

As equipes de fiscalização do IPEM-TO visitam os estabelecimentos que comercializam esses produtos, verificando se estes trazem a indicação da composição têxtil e outras inscrições obrigatórias.

Também coletam amostras de tecido para verificarem a correspondência entre a composição indicada na etiqueta e os tipos de fibras efetivamente presentes no tecido.

Constatando-se erros que prejudiquem ao consumidor, a fiscalização determina que o produto seja retirado de comercialização. O responsável pela irregularidade é autuado e tem dez dias para apresentar defesa junto à superintendência do instituto. (Ascom Ipem)

Por: Redação

Tags: Ipem, Parrião Júnior