Estado

Foto: Divulgação Uma das principais obras no Tocantins, Ferrovia Norte-Sul será concluída este ano Uma das principais obras no Tocantins, Ferrovia Norte-Sul será concluída este ano

Depois da confirmação dos investimentos nas obras de duplicação da BR-153 e do braço da Ferrovia Oeste-Leste, que liga a cidade de Figueirópolis (TO) ao município baiano de Ilhéus, gestores tocantinenses comemoraram a possibilidade de crescimento econômico do Estado por conta da chegada de grandes indústrias e do escoamento da produção agícola do Estado, destacando o potencial atacadista e sua alta capacidade para se tornar um centro de distribuição de produtos agrícolas e industrializados.

Para o presidente do sistema Fecomercio do Tocantins, Hugo de Carvalho, a ampliação da malha viária, incluindo rodovias e ferrovias, do Estado, será uma das grandes soluções para a distribuição comercial e crescimento econômico. “Principalmente na região de Araguaina, Darcinópolis que tem ligação com o Bico do Papagaio e o norte do Pará e do Maranhão”, salientou.

Além do norte do Tocantins, Carvalho destacou o grande volume de produtos que entram no Estado através de sua fronteira com Goiás, ao Sul. O presidente do sistema Fecomercio destacou que tem mantido contato com distribuidoras e comerciantes de Minas Gerais, Goias, Rio de Janeiro, entre outras regiões e o fortalecimento do setor de infra-estrutura viária no Tocantins tende a trazer maior crescimento comercial e econômico para o Estado. “Eu acredito que a facilidade logística deveria ser contínua para que isso aconteça”, disse.

Muito além de benefícios simplesmente para o Tocantins, a duplicação da BR-153 em seu trecho tocantinense e o adiantar das obras da Ferrovia Oeste-Leste no setor de interseção com a Ferrovia Norte-Sul levarão crescimento e fortalecimento para outros estados vizinhos, segundo Hugo de Carvalho. “As coisas precisam ser vistas sob os dois lados das estradas”, ponderou.

Escoamento Agrícola

Não apenas no setor comercial urbano estas obras estruturais podem trazer benefícios para o Estado. A área agrícola, um dos pontos fortes do Tocantins, tem muito a ganhar também com a duplicação da Belém-Brasília ou Transbrasiliana e conclusão das ferrovias e instalação da hidrovia no Estado. De acordo com o secretário executivo da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário do Estado, Ruiter Pádua, o setor agrário do Tocantins só poderá ser mais incentivado com estas melhorias no sistema de escoamento da produção.

Para o secretário, para que a produção agrícola no Estado renda frutos e retorno financeiro para produtores e trabalhadores do campo, é preciso de um bom sistema de interligação com portos e, por consequência, com os compradores finais. “Não é possível que um Estado invista em produção sem ter uma malha viária, uma estrutura que dê vazão à nossa produção”, afirmou.

Pádua frisou no entanto que, mesmo com a atenção dada pelo Governo Federal ao Tocantins, principalmente pela sua localização privilegiada – ao centro do mapa, ainda é preciso um grande investimento não apenas no transporte terrestre. O secretário frisou que é importante a instalação e manutenção de um aeroporto de carga no Estado. Além disso, a instalação de um sistema de hidrovias no Tocantins, que auxiliaria muito o escoamento da produção agrícola. “Senão fortalecermos estas áreas, teremos um gargalo terrível na nossa produção”, completou.