Campo

Foto: Divulgação Miyuki Hiashida, presidente do Ruraltins Miyuki Hiashida, presidente do Ruraltins

Depois de várias declarações de servidores da Agência de Defesa Agropecuária – Adapec alegando más condições de trabalho e problemas estruturais nos escritórios e postos da instituição no Estado agora o Ruraltins é alvo de algumas denúncias.

Desde o início da semana servidores de alguns municípios entraram em contato com o Conexão Tocantins para relatar problemas pontuais. Em Pequizeiro por exemplo, servidores contam que até a tinta de impressora foi adquirida através de uma vaquinha de funcionários e com ajuda de alguns produtores. Na cidade, o escritório estaria passando por uma crise financeira. “Aqui em meu município o prédio, água, internet, energia, assistentes administrativos e vigias noturnos são mantidos pela prefeitura”, conta um servidor que preferiu não se identificar.

O Conexão Tocantins entrou em contato com o Ruraltins, presidido por Myiuki Hiashida, para saber se o órgão tem conhecimento das insatisfações dos servidores. Com relação ao custeio de despesas dos órgãos por parte de algumas prefeituras o Ruraltins informou que este procedimento é normal. “Na constante busca pelo aprimoramento e aperfeiçoamento, com foco na excelênciados serviçosprestados, inclusive otimização de recursos financeiros, há a necessidade de firmar parcerias junto a algumas gestões municipais, contando com a contribuição do custeio de algumas despesas como a água, energia, aluguéis e fornecimento de acesso a internet, entre outras, variando de município para município”, explicou.

Em alguns municípios, segundo servidores, até a gasolina estaria ficando a cargo dos municípios. Segundo o Ruraltins, existe contrato com empresa especializada em gerenciamento de frota, para abastecimento dos veículos onde todos os veículos do Ruraltins, são abastecidos mediante apresentação do cartão magnético.

“Esclarecemos que todos os escritórios tem uma quota mensal de combustível, de acordo com a demanda dos serviços prestados, e caso essa não seja suficiente, o chefe da Unidade Local de Execução de Serviços deverá solicitarcomplementação via memorando ao Escritório Central, em Palmas”, explicou o órgão.

Estrutura

Sobre as reclamações de estrutura o Ruraltins alega que a maioria dos escritórios do no interior possui serviço de acesso a internet, e nas localidades que ainda não dispõem do beneficio, está sendo viabilizada a contratação dos mesmos.

Para fortalecer as atividades de assistência técnica e extensão rural o órgão mencionou ainda que por meio de convênio celebrado com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Consórcio Estreito Energia (Ceste) e recursos próprios, foram adquiridos 18 veículose 120 kit de informática ( com computadores, impressoras multifuncionais a laser e nobreak).

“A atual gestão vem trabalhando a reestruturação da instituição de forma participativa com os extensionistas visando a eficácia das ações, buscando solucionar todos os problemas encontrados ao assumir a pasta. Por fim, vale salientar que é determinação governamental a melhoria contínua dos serviços prestados, cabendo exclusivamente cuidar das pessoas”, concluiu o órgão.