Polí­tica

Foto: Divulgação

Para avaliar o pacote de medidas de reforço às politicas de preservação ambiental anunciado pelo Governo Federal, o deputado Ângelo Agnolin (PDT) e o prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), participaram da solenidade em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, no Palácio do Planalto, em Brasília, nesta terça-feira, 05. Na ocasião, a presidente Dilma Rousseff assinou um decreto que define critérios de sustentabilidade, que passam por saúde indígena, homologação de unidades de conservação e reservas extrativistas e até eliminação de lixões em todo o Brasil.

Nessa nova fase, entre outras diretrizes, o governo pretende priorizar em seu sistema de compras produtos que utilizam critérios ambientais, econômicos e sociais. Além disso, o Planalto autorizou a criação de seis novas terras indígenas - sendo cinco no Amazonas, uma no Pará e uma no Acre – e a criação de duas novas unidades de conservação no País.

Na área da saúde, um Plano de Ação vai reduzir a mortalidade infantil e materna da população indígena, beneficiando inicialmente 16 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), entre eles, o Tocantins. Conforme o Planalto, as áreas selecionadas concentram 70% do número absoluto de óbitos registrados em 2011 de crianças menores de um ano. “Temos altos índices de mortes de índios no Estado, essas ações em saúde vão representar um grande avanço na redução desses números,” relacionou Agnolin.

Ao receber os cumprimentos da presidente Dilma pela série de ações voltadas à sustentabilidade, o prefeito Raul Filho afirmou que vê, com orgulho, o conjunto de intenções do Governo e defendeu que Palmas detém potencial recurso natural em áreas conservadas, sendo considerada, inclusive, uma das capitais ecológicas do País. Na solenidade, Raul representou todos os prefeitos de capitais brasileiras.