Polí­tica

Foto: Conexão Tocantins

O presidente do diretório metropolitano do Partido Progressista (PP), empresário Carlos Amastha, afirmou que a pesquisa do Ibope Inteligência, contratada pelo partido e registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE), não revela nenhuma “surpresa” e sim reflete “o sentimento das ruas”. “Contratamos o Ibope que colheu as intenções de votos dos palmenses. Realizamos uma pesquisa quantitativa e qualitativa e esta última é exclusivamente para análise interna do partido durante as eleições que se aproximam”, pontou ele.

Para Amastha, a queda de 10 pontos do pré-candidato Marcelo Lelis (PV), no percentual de intenções de votos em relação à pesquisa realizada pelo Ibope em dezembro do ano passado, deve se acentuar ainda mais, principalmente quando forem confirmadas todas as candidaturas.“Indiscutivelmente a candidatura de Marcelo Lélis é sem conteúdo e segue o mesmo modelo de projetos anteriores que estavam ligados ao governo estadual ou municipal, e sequer refletiam os interesses da população”, disse Amastha.

Ele comentou ainda que na pesquisa a avaliação da administração do Governador Siqueira Campos apresenta piora expressiva em relação a dezembro do ano passado, quando era vista por 48% dos eleitores como ótima ou boa – índice que cai para 39% em maio deste ano. “A imagem de Lelis está diretamente ligada ao governo estadual, grupo que ele representa. O desgaste do executivo estadual perante a população, que espera muito mais de um realizador com as características de Siqueira Campos, reflete diretamente em Lelis”.

Sobre os índices de Luana Ribeiro, pré-candidata do PR, que aparece em segundo lugar nos cenários, oscilando entre 13% e 14% das menções, Amastha credita esse resultado ao prefeito Raul Filho (PT) pelo trabalho que fez ao levar três vereadores para a base da deputada. “Lucio Campelo (PR), Milton Neris (PR) e Folha (PTN)” estão entre os cinco vereadores mais citados na pesquisa. Todos sabemos que o Raul fez gestão para que os vereadores fossem para a base do senador João Ribeiro (PR)”, disse ele reforçando ainda os índices reais da pré-candidata não são 25% e sim entre 13% e 14%.

Quanto à terceira colocação, onde Edna Agnolin (PDT) e Eli Borges (PMDB) empatam tecnicamente com índices que variam entre 5% e 7% das intenções de voto, Amastha disse que Edna “carrega o desgaste da administração do Prefeito Raul Filho” que na avaliação do Ibope permanece negativa, com 47% dos entrevistados considerando-a como ruim ou péssima e 65% que desaprovam sua administração. Sobre Eli Borges, ele lamentou o pouco crescimento e os baixos índices. “A falta de engajamento do partido faz novamente acreditar que o PMDB mais uma vez não será protagonista neste pleito”.

Sobre a sua colocação e de Alan Barbieiro (PSB), pré-candidatos que compõem a terceira via e que estão tecnicamente empatados, Amastha reforçou que ambos são conhecidos apenas por 1/3 do eleitorado e que na espontânea, 52% dos entrevistados declaram não saber em quem votariam ou não opinam sobre sua preferência. “Temos um potencial muito grande de crescimento dependendo das propostas e o entendimento que a população de Palmas tenha em romper com os vícios das eleições anteriores”, concluiu ele.

A pesquisa

A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 26 de maio de 2012. Foram entrevistadas 602 pessoas. A margem de erro é de 4 pontos percentuais, considerando um grau de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no TRE/TO, sob protocolo nº TO-0030/2012.