Estado

Foto: Divulgação

Os servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) no Estado do Tocantins, por meio da Associação dos Servidores do Ibama no Tocantins – Asibama/TO, realizam, nesta segunda-feira, 11, uma paralisação das atividades. A mobilização faz parte de um calendário de lutas aprovado nacionalmente pelos servidores da carreira de especialista em meio ambiente, que pretende divulgar a precarização institucional que estaria fragilizando a gestão ambiental em todo o Brasil e que estaria se refletindo na crescente defasagem dos gastos públicos com o setor em relação a outras áreas, como infra-estrutura.

A paralisação terá duração de 24 horas e acompanha o calendário em defesa da unificação das lutas do Fórum Nacional de Entidades do Serviço Público Federal.

A programação tem início às 8h30 no hall da biblioteca central da Universidade Federal do Tocantins (UFT), onde os servidores demonstrarão apoio à greve dos professores da Universidade.

Ainda pela manhã, às 10h30, na sede da Superintendência do Ibama, localizada na Avenida Teotônio Segurando, será realizado um ato simbólico representando o “enterro do meio ambiente”, em protesto contra o que seria descaso do Governo Federal com as questões ambientais, refletidas na área legislativa, como o novo código florestal e desafetação de unidades de conservação através de medidas provisórias, e na área executiva, com o abandono institucional que tem provocado o sucateamento progressivo do Ministério do Meio Ambiente (MMA), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) e do Ibama .

A partir das 14h30min, os servidores realizam assembleia na sede da superintendência do órgão para avaliar a mobilização e definir as próximas ações. Os servidores nos escritórios regionais de Araguaina e Gurupi também realizarão assembleia a partir das 14h30min.

Está previsto para o próximo dia 14, uma nova mobilização com foco na pauta específica dos servidores da área ambiental federal, com assembleia que discutirá a possibilidade de adesão à greve geral dos servidores federais por período indeterminado com indicativo de início para o dia 18 de junho, aproveitando o início da Rio+20. (Assessoria de Imprensa)