Estado

Foto: Cacique Iwraru Karajá Ismael karajá era da aldeia Santa Izabel Ismael karajá era da aldeia Santa Izabel

Durante a conferência Rio +20, realizada na cidade do Rio de Janeiro, um indígena da etnia Karajá, da aldeia Santa Izabel, localizada na cidade de São Félix do Araguaia, morreu vítima possivelmente de um ataque cardíaco. A informação foi divulgada pela Revista Isto é e a causa da morte ainda não foi confirmada.

De acordo com a publicação, Ismael Karajá, de 48 anos, que representava o Tocantins na Kari-Oca, ao lado de outros 420 indígenas, começou a apresentar dores na cabeça e no peito, além de vômitos. O tocantinense foi encontrado morto no dia seguinte, em sua rede, na manhã de ontem pelo cacique Karajá. A expectativa é que o corpo de Ismael seja transportado de volta para o Tocantins por um guerreiro da tribo.

As festividades de encerramento do espaço indígena na Rio +20 foram cancelados, conforme a Isto é. “A cerimônia do fogo, que encera as atividades será mantida, mas não em clima festivo”, explicou o Marcos Terena.

O governador do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB) emitiu nota de pesar pelo falecimento de Ismael Karajá, na manhã deste sábado. Segundo Siqueira, os indígenas eram os que representavam “o que há de mais puro da cultura tocantinense”. O governador lamentou a morte de Ismael e dedicou seus votos de pesar à família do indígena.

Nota de pesar

O Governador Siqueira Campos lamenta profundamente a morte prematura de Ismael Karajá, ocorrida hoje, 22, durante a realização da Conferência das Nações Unidas Rio+20 onde, juntamente com seus irmãos indígenas, representava o que há de mais puro da cultura tocantinense. O Governador estende a toda Nação Iny Karajá, à comunidade da aldeia Santa Isabel do Morro e aos familiares de Ismael os votos de pesar e o sentimento de solidariedade neste momento de dor.

Siqueira Campos

Governador do Estado