Polí­tica

Foto: Ascom

Iniciando a semana que antecede as convenções partidárias que deverão apontar os possíveis candidatos à prefeitos e vereadores em todo o Tocantins, as especulações em torno de nomes e composições aumentam. Um dos principais alvos em Palmas é o recém formado grupo político que envolve a vice-prefeita de Palmas, Edna Agnolin (PDT) e os deputados estaduais Wanderlei Barbosa (PSB) e Sargento Aragão (PPS).

A esperada definição, no entanto, deve sair somente na próxima quinta-feira, 28, conforme explicou ao Conexão Tocantins, o deputado do PPS. Aragão confirmou que a meta do grupo é viabilizar, num primeiro momento, a candidatura de um dos três nomes. Somente após enxugar todas as possibilidades de candidatura própria, o trio deverá assumir apoio a algum outro candidato. “Caso isso não aconteça (a candidatura própria) nós iremos sentar e definir em qual palanque iremos subir”, disse.

O deputado destacou, no entanto, que, caso seja definido o apoio a algum outro candidato, o escolhido provavelmente não será um nome da base do governador Siqueira Campos. No caso de Palmas, o candidato do governo à Prefeitura é o deputado Marcelo Lelis (PV). “Não é que tenha restrição a algum nome. Mas eu, Sargento Aragão, pela minha postura política, não poderia me aliar a nenhum candidato apoiado por este governo”, salientou.

Luana Ribeiro

O novo grupo não descarta a possibilidade de composição com a deputada Luana Ribeiro (PR), mesmo depois das críticas por não ter assumido uma postura combativa contra o governador. Segundo Aragão, caso não haja a possibilidade de uma candidatura de nenhum dos três nomes que compõem a nova aliança, as negociações com relação a apoio serão abertas.

Força política

De acordo com Sargento Aragão, o grupo pode ser um preponderante para a definição eleitoral de 2012. O deputado lembrou da votação de 2010 quando ele, Wanderlei Barbosa e o deputado federal Angelo Agnolin – marido de Edna foram eleitos. “Nossos votos pessoais somam 21 mil. Se somarmos os meus votos, os do Wanderlei e do Agnolin, temos este número”, citou.

Além disto, o deputado frisou que já tem o apoio do diretório metropolitano de seu partido, além do PDT municipal e estadual. “Do PSB ainda não temos declaração de apoio, mas temos a força política do deputado Wanderlei, sua postura”, destacou.