Polí­tica

Foto: Divulgação

A deputada federal Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) participou nesta última terça, 21, do programa Missão Pedagógica no Parlamento. Com a participação de 54 professores de todo o País, a parlamentar fez um breve relato sobre a sua experiência pessoal no processo de aprovação do Plano Nacional de Educação e deu sua opinião sobre o Piso Nacional do Magistério.

Sobre o PNE, a deputada relembrou a movimentação para a criação de uma comissão especial para analisar o PNE sem necessariamente precisar ir a plenário. Segundo a parlamentar, o debate dentro da comissão foi bastante democrático, com a realização de audiências públicas para aprofundar as discussões. “A partir das audiências e seminários realizados nos estados foi possível construir um texto que pudesse representar as diferenças do nosso país. A maior luta foi na aprovação das emendas e dos destaques, principalmente em se tratando do financiamento da Educação”, disse.

A parlamentar criticou a manobra do Governo em tentar reverter a aprovação do PNE, contra os 10% do PIB. “O financiamento ficou polarizado, defendemos os 10% ao longo dos próximos 10 anos. O recurso do governo contra os 10% do PIB para a Educação foi uma negativa surpresa e pode trazer sérios prejuízos à educação pública brasileira”, pontuou.

“O PNE traz grandes avanços desde a educação básica à pós-graduação, é bastante ousado no que se refere à educação integral. O plano traz a possibilidade de adequação do ensino, onde uma criança do meu Estado possa estudar o mesmo conteúdo que uma criança de são Paulo estuda, por exemplo”, acrescentou.

Sobre o Piso do Magistério, professora Dorinha lembrou que, hoje em dia, o professor tem uma remuneração de 38 a 40% a menos comparado às demais profissões com formação superior. “O professor tem o mesmo esforço de formação, muitas vezes mais exigente, pois exige constante atualização e essa diferença é muito injusta. Além disso, há a dificuldade imposta pela União em complementar o Piso nos estados e municípios que têm dificuldade de arcar com essa conta”, disse.

A deputada reforçou a necessidade da valorização docente para tornar a carreira mais atrativa. “Menos de 2% dos alunos querem ser professores, isso porque é uma profissão que não é valorizada”, ressaltou.

Sobre o Programa

O Missão Pedagógica no Parlamento é um programa criado pela Câmara dos Deputados com o objetivo de oferecer aos educadores formação em educação para democracia. Esse foi o primeiro programa destinado a professores realizado pelo Legislativo no âmbito federal e em 2012 está indo para sua 2ª edição.

O programa busca a construção de uma rede nacional de professores sensibilizados para a importância da inserção da educação para a democracia nas práticas pedagógicas das escolas. Os professores participam de uma intensa semana de formação em Brasília, e também contam com módulos a distância, nos quais aprendem e socializam saberes e práticas para fazer da escola um espaço privilegiado para a vivência de experiências e valores democráticos e para o fortalecimento da cidadania.