Polí­cia

Foto: Divulgação

O Grupo de Operações Táticas Especiais da Polícia Civil – Gote, sob o comando do delegado Roger Knewitz, diretor do Grupo, foi acionado nessa sexta-feira, 31, pela delegada e coordenadora de polícia especializada, Liliane Albuquerque, para desativar explosivos deixados por bandidos em um caixa eletrônico do Banco do Brasil na cidade de Fátima, distante a cerca de 150 km de Palmas.

Os policiais civis do Gote, que são especializados em explosivos, primeiramente realizaram uma vistoria técnica visual, e, logo depois fizeram o primeiro procedimento: retirar do caixa o dinheiro que os bandidos não conseguiram levar e consequentemente toda emulsão explosiva que restou no caixa, que não foi totalmente estourado pelos bandidos.

O trabalho cauteloso, que também foi comandada pelo delegado chefe, Eliu de Andrada e pelo diretor de Polícia do interior, José Rerisson Macedo, teve início por volta de 10h manhã e só foi finalizado às 21 horas. Depois que foi retirado todo material contaminado com explosivos, os policiais levaram parte do material recolhido para a perícia, e outra parte das peças para uma área isolada para que as mesas fossem explodidas.

De acordo com Ariston Ribeiro, coordenador do Gote, o explosivo utilizado para detonar as peças do caixa é o mesmo utilizado pelos bandidos. “Esse material não pode ser descartado com a emulsão explosiva nele, pois a o risco de alguém querer aproveitar essas peças e sofrer um acidente, por isso tivemos que destruir totalmente o material contaminado com a emulsão explosiva”, frisou Ribeiro.

Entenda o Caso

Dois dos três caixas eletrônicos do Banco do Brasil foram alvos da ação de bandidos que há duas semanas tentaram furtar com uso de explosivos os caixas. Um dos caixas não foi totalmente destruído, restando no mesmo, emulsão explosiva por toda parte. Na ação nada foi levado pelos criminosos. (Ascom SSP)