Estado

Foto: Divulgação

O ex-corregedor administrativo da Secretaria Estadual da Administração, Jader Ferreira, que foi acusado de assédio moral e maus tratos a colegas, depois de ser exonerado pelo governo foi recontratado dias depois na pasta da Secretaria de Infra-Estrutura com salário DAS 12 conforme ato Nº 1.892 do Diário Oficial do dia 19 de setembro.

Ele foi exonerado através da Portaria CCI nº 610 do dia 10 de setembro. O servidor foi alvo de uma denúncia feita ao secretário Lúcio Mascarenhas e também oficializada junto ao Sindicato dos Servidores Públicos (Sisepe).

Conforme a denúncia vários servidores teriam sido vítimas e maus tratos e assédio moral praticados por Ferreira. Mascarenhas chegou a afastar o servidor do cargo e abriu sindicância para apurar os fatos. Segundo as denúncias, Ferreira chegava a bater nas mesas e tratava os servidores aos gritos e muitas vezes com agressões verbais.

Algumas servidoras teriam ainda sido intimidadas pelo ex-corregedor inclusive uma delas teria pedido demissão em razão disso. Há ainda relatos de que Ferreira chegava até a expulsar do órgão quem fosse contrario às suas ordens.

Por causa do comportamento do servidor vários funcionários da Secad estariam pedindo remoção para outros órgãos. Em junho deste ano a Secad chegou a admitir por meio de nota que as denúncias são graves por isso afastou de maneira preventiva o servidor. A secretaria prometeu averiguar os fatos.

Sisepe cobra

O presidente do Sisepe, Cleiton Pinheiro questionou a recontratação do servidor pelo governo e informou que vai pedir informações ao secretário. “ Para o Sindicato é prematuro renomear esta pessoa com todas essas acusações. A exoneração já caracterizou que ele cometeu atos não compatíveis com o cargo”, salientou. Pinheiro cobrou ainda averiguação sobre o caso. “Isso mostra que o governo não está preocupado com a questão técnica e sim com a questão financeira do servidor”, frisou.