Polí­tica

Foto: Divulgação

O fim das eleições decretaram também a consolidação de algumas legendas e o acendimento do alerta vermelho para outros. O PSD, partido criado em 2011, teve uma forte ascensão no Tocantins nas eleições deste ano e elegeu 30 prefeitos. Já o Democratas viu seu número de prefeitos eleitos cair drasticamente entre as eleições de 2008 e 2012. 

Em 2008, o DEM elegeu pelo menos 26 prefeitos no Tocantins. Já no pleito deste ano, conseguiu elevar apenas cinco candidatos ao cargo de gestores municipais registrando a maior queda na quantidade de eleitos. Além do DEM, o PMDB também viu seu quadro de prefeitos reduzir depois das eleições de 2012. No último pleito, quatro anos atrás, o partido, comandado na oportunidade pelo então deputado federal Osvaldo Reis, elegeu 33 prefeitos, ou seja, 13 a mais do que no pleito de 2012 sob o comando do deputado federal Júnior Coimbra, que apoiou alianças consideradas polêmicas e que resultaram em fracasso nas urnas, como foi o caso da capital Palmas, onde o deputado subiu no palanque do pevista Marcelo Lelis, que faz parte do grupo do governador Siqueira Campos (PSDB), adversário histórico do partido no Estado. 

Queda do DEM

De acordo com o deputado Osires Damaso, presidente regional da sigla, a criação do partido da senadora Kátia Abreu (PSD) foi o principal filão de prefeitos de sua legenda. “O PSD nasceu dentro do DEM e nos levou muitos líderes e acabamos perdendo espaço”, disse.

Outra causa que culminou no reduzido número de prefeitos eleitos pelo seu partido, o democrata salientou a falta de recursos para sustentar as campanhas eleitorais no interior do Tocantins. Em Palmas, o DEM apoiou a candidatura do candidato Marcelo Lelis (PV), também derrotado nas urnas. “Não tivemos recursos para os nossos candidatos. Foram essas duas causas”, lembrou.

Aumento

Outras legenas registraram aumento na quantidade de gestores eleitos, como o PT, do prefeito Raul Filho, que saiu de 7, em 2008, para 10, quatro anos mais tarde. Neste ano o PSB elegeu 16 prefeitos, o PR do senador João Ribeiro, 14, enquanto o PP e PTB conseguiram fazer seis representantes cada um.