Polí­tica

Foto: Divulgação

O líder de governo na Assembleia Legislativa do Tocantins, deputado Osires Damaso (DEM) se pronunciou durante a sessão ordinária da manhã desta quarta-feira, 10, sobre as acusações de recebimento de dinheiro para compra de votos, contra o governador Siqueira Campos (PSDB), feitas pelo deputado Sargento Aragão (PPS), durante a sessão de ontem. 

De acordo com Damaso, o governador foi abordado pela Polícia Federal enquanto retornava do Aeroporto de Palmas após viagem de campanha eleitoral pelo interior do Estado.  “As informações que fui buscar, é que o governador, retornando de viagens pelo interior, se deparou com uma blitz da polícia. E quando a Polícia Federal se deparou com o governador do Estado, preferiu não abordar o carro oficial”, disse.

Osires ainda frisou que o governador chegou a receber uma ligação do secretário estadual da Segurança Pública, João Coelho Fonseca, solicitando uma audiência para tratar da abordagem. Depois da reunião com o secretário e o corregedor de polícia do Estado, Siqueira, segundo o líder de governo, recebeu a informação de que a abordagem teria partido de uma denúncia anônima de suposto recebimento irregular de dinheiro. “A denúncia partiu de uma manobra política, na véspera das eleições, para gerar fato negativo. O carro não era um carro oficial, mas um carro que presta serviço ao Palácio”, completou.

O deputado ainda criticou as denúncias feitas pelo deputado Sargento Aragão, vice-prefeito eleito depois do pleito do dia 7 de outubro. “O que eu solicitaria de vossa excelência, é que dê os nomes desses agentes e que essa Casa exigisse da polícia, que tome providências. Não podemos vir aqui fazer denúncias e deixar como denúncias levianas. Vossa excelência é um deputado que tem uma responsabilidade com o povo do Tocantins, e agora muito mais com o povo de Palmas”, desafiou.