Campo

Foto: Juliano Ribeiro

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou o zoneamento agrícola de risco climático para o plantio da safra 2012/2013 do abacaxi em 24 estados brasileiros, onde as condições são mais favoráveis à produtividade. A Portaria nº 221 foi publicada, nesta última quarta-feira, 17, no Diário Oficial da União (DOU), divulgando as portarias de cada estado. A portaria relacionada ao Tocantins é a de nº 239, e considera todos os 139 municípios aptos ao cultivo. Atualmente o Estado é o sétimo produtor nacional de abacaxi, da variedade pérola.

O documento traz ainda a definição de um calendário que aponta os períodos em que os problemas provocados pela falta ou excesso de chuva causam menos impactos ao cultivo do fruto. O mapeamento é feito a partir de análises de clima, solo e de ciclos de cultivares, a partir de uma metodologia validada pela Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. O objetivo é reduzir os riscos relacionados aos fenômenos climáticos e permitir que cada município identifique a melhor época de plantio, nos diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares.

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Vegetal da Seagro – Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, José Américo Vasconcelos, os produtores já iniciaram o plantio em meados de setembro e segue até o dia 28 de fevereiro.  “O ciclo do cultivo do abacaxi varia conforme a região. No sul do país, a cultura tem um ciclo de 24 meses (do plantio a colheita), enquanto em regiões localizadas mais próximas à linha do Equador, como o Tocantins, esse período é reduzido para 18 meses”, explica.

Segundo Vasconcelos, na safra 2011/2012 a área plantada de abacaxi no Estado foi de 1,5 mil hectares, com produção aproximada de 45 milhões de frutos. “Para esta safra que está iniciando, devido aos bons preços, a previsão é de aumento em torno de 10% da área, Produzimos frutas de grande aceitação no mercado, que hoje é mais exigente, faz questão de qualidade, beleza e uma produção sustentável, que exige do produtor uma capacidade de produzir sem agredir o meio ambiente”, ressalta o engenheiro, acrescentando que o abacaxi é um dos produtos agrícolas que exerce importante impacto sobre a geração de renda e emprego.

Considerações

Originário do Brasil e típico de regiões tropicais e subtropicais, o abacaxizeiro produz melhor em locais com temperaturas mais altas, o clima ideal é em torno de 24ºC e onde há chuvas constantes no ano ou sistema de irrigação. De acordo com análise do Ministério da Agricultura, a necessidade de água da planta varia ao longo do ciclo, depende do estágio de desenvolvimento e das condições de umidade do solo.

A portaria ainda mostra que o crescimento e o desenvolvimento do pé de abacaxi são bastante influenciados pela temperatura, assim como pela umidade relativa do ar.  As mudanças súbitas da umidade podem prejudicar o desenvolvimento do fruto afetando, inclusive, o valor comercial. (Ascom/Seagro)