Saúde

Foto: Marcos Vinicius


A Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus) inicia o Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) na capital, nesta terça-feira, 23. O levantamento será realizado em áreas amostrais em, pelo menos, três mil imóveis em diferentes pontos da cidade. Mais de cem homens estarão envolvidos na ação.

Para o secretário da Saúde de Palmas, Samuel Bonilha, o LIRAa serve como ferramenta para nortear medidas de controle da dengue para os próximos meses,  quando se intensifica o período chuvoso, e, desta forma, realizar o  direcionamento das ações para as áreas apontadas como críticas, além de instrumentalizar a avaliação das atividades desenvolvidas."Através do levantamento rápido, será possível identificar de maneira  rápida o índice de infestação da endemia e realizar ainda a classificação dos criadouros encontrados para, em seguida, mobilizar a comunidade", explica o secretário. 

Infestação

Segundo o biólogo e coordenador de controle vetorial, Ronaldo Oliveira, o LIRAa contribui até mesmo para a identificação das áreas com maior incidência e tipos de criadouros mais encontrados nos imóveis. Relatórios do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) indicam que o  atual índice médio de infestação predial de Palmas está próximo a  zero, reflexo do período seco, quando o número de criadouros positivos cai.

Com o LIRAa, os técnicos em Vigilância Ambiental da Semus esperam obter o índice da doença após as primeiras chuvas para dar prosseguimento às ações de enfrentamento da endemia durante o período chuvoso.

Vistoria

O secretário Samuel Bonilha orienta ainda que a população se mantenha receptiva aos agentes de controle de endemias e se atente às orientações de prevenção de focos do mosquito. "É de responsabilidade do proprietário evitar que seu imóvel tenha condições favoráveis a reprodução do mosquito, removendo depósitos móveis e vendando os depósitos fixos de água parada, locais visados pela fêmea do Aedes aegypti para a postura dos ovos ", acrescenta.

Doença

Na Capital, este ano, foram diagnosticados 4.527 casos da doença, que é transmitida pela picada do mosquito da dengue. Para evitar a dengue, a solução é acabar com a água parada e romper o ciclo de transmissão da doença, cujos principais sintomas são: dor atrás dos olhos, dor nas articulações, vermelhidão na pele, dor muscular, perda de apetite e prostração são os principais sintomas da dengue.

"A associação de dois ou mais sintomas desses sintomas acompanhados de febre exige atenção, por isso recomendamos que procurar a Unidade de Saúde mais próxima imediatamente ao início dos sintomas para que seja iniciado o monitoramento do caso e evitado o agravamento do quadro clínico do paciente", explica Renata Chaves, enfermeira da Área Técnica da Dengue de Palmas. (Ascop)