Cultura

A Fundação Cultural de Palmas (FCP) disponibiliza sessões de cinema a preços populares no Cine Cultura – Sala Sinhozinho, com programação Cult, por meio da exibição de produções de qualidade que estão fora da rota comercial. Os cinéfilos podem acompanhar a programação, atualizada semanalmente no site da Prefeitura de Palmas, pelo facebook.com/cinecultura.salasinhozinho

A sala de cinema funciona de quarta a domingo e fica localizada no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho. A entrada de quarta a sexta, custa R$ 4,00 (meia para todos) e sábado e domingo R$ 8,00 inteira e R$ 4,00 a meia. Estão em cartaz filmes de repercussão internacional e premiados em vários festivais.

Programação

24 a 28 de outubro

18 horas: Fanaa

21h15: L’Apollonide:Os amores da casa de tolerância

27 e 28 de outubro (sessão especial)

16 horas – Girimunho

Sinopses

Fanaa

A escolha não é entre o bem e o mal, isso é fácil. As verdadeiras escolhas da vida estão entre o menor dos dois males ou o maior dos dois bens. Este é o conselho que a jovem cega Zooni (Kajol) ouve de seu pai quando está prestes a aventurar-se sozinha no mundo pela primeira vez. O que ela não sabe é o efeito que essas palavras terão em sua vida.

Durante sua viagem, Zooni conhece Rehan (Aamir Khan), um incorrigível mulherengo guia turístico, que muda de cidade em cidade, explorando a arquitetura e conhecendo novas mulheres. Ela apaixona-se por Rehan e decide viver este amor, mesmo sendo avisada por suas amigas sobre este Don Juan. Chegou a hora de viver a vida e o amor. Será essa a decisão correta?

L’Apollonide:Os amores da casa de tolerância

Início do século XX: o bordel L’Apollonide está vivendo seus últimos dias. Neste mundo fechado, onde alguns homens se apaixonam e outros se tornam viciosamente dependentes, as garotas dividem seus segredos, suas rivalidades, seus medos e suas dores. Filme francês na sua melhor tradição, L’Apollonide, cujo título, em português, recebeu o sobrenome de Os amores da casa de tolerância é um drama carregado de beleza plástica e de música, com um padrão de sensualidade que mergulha no trágico em busca de um refinado sentido estético.

Girimunho

No sertão mineiro, onde o tempo parece andar ao ritmo do rio, duas senhoras acompanham o girar do redemoinho. Bastú acaba de perder o marido Feliciano e sem choro busca abrigo nos sinais do dia a dia e em suas lembranças. Mas é na liberdade dos sonhos e nas novidades trazidas pelos netos que ela faz sua própria transformação. Maria carrega em seu tambor a alegria e força de seu povo. Seu batuque ecoa os sons de outros lugares e marca a presença daquilo que não pode morrer. Neste universo onde a tradição é surpreendida pela novidade e a realidade pela invenção, pequenos movimentos podem fantasiar o correr da vida.

Curiosidades e premiações

Girimunho

No Brasil, “Girimunho” participou da 35ª Mostra internacional de Cinema em São Paulo, da última edição do Festival do Rio, da IV Janela Internacional de Cinema de Recife e da Mostra de Tiradentes. Em sua passagem pelos festivais internacionais, recebeu dois prêmios em Nantes (Prêmio Especial do Júri e melhor filme pelo Júri Jovem), dois em Mar Del Plata (Júri Oficial Latinoamericano e Júri Feisal.), um em Havana (Prêmio Especial do Júri) e um em Veneza (Interfilm Award).

Fanaa”

Fanaa é o primeiro filme distribuído no Brasil pela Bollywood Filmes, em comemoração aos 100 anos do cinema indiano. “Especialistas são unânimes em afirmar que o cinema indiano vai crescer mais rapidamente que Hollywood e se estabelecer como a segunda maior indústria cinematográfica do mundo. O mercado cinematográfico indiano está em franco desenvolvimento, tanto em qualidade quanto em cifras”, contextualiza o distribuidor de Fanaa, André Ricardo.

L’Apollonide: Os amores da casa de tolerância

A produção francesa foi indicada no último Festival de Cannes e em seu primeiro final de semana na França, “L’Apollonide” conseguiu alcançar a segunda melhor média de público por cópia. Considerando o lançamento limitado em 80 cópias o filme foi um sucesso, e a revista Les Inrocks atribuiu a “L’Apollonide” o mérito de reafirmar o cinema de arte francês ao grande público. O filme foi exibido no Festival de Toronto 2011 e no Brasil, “L’Apollonide” integrou a programação da 5° Mostra CineBH e do Festival do Rio 2011