Saúde

Foto: Divulgação Nem sempre o doente apresenta os sintomas como o da foto Nem sempre o doente apresenta os sintomas como o da foto

Apesar do Tocantins ter registrado uma redução nos casos notificados da hepatite, o Governo do Estado, por meio da Sesau - Secretaria Estadual de Saúde, alerta a população para os riscos da doença. Só neste ano já foram notificados 571 casos, 339 deles só de hepatite A, contra 595 do ano passado. 

Segundo Iria Gonçalves, responsável técnica pela Área de Hepatite Viral da Sesau, o Estado tem sempre trabalhado no combate à doença. “São feitas orientações à população no sentido de divulgar os cuidados com a doença, além de mutirões de testes rápidos”, afirma.

A hepatite A é transmitida por água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra. Os sintomas mais comuns são febre, pele e olhos amarelados, náusea e vômitos, mal-estar, desconforto abdominal, falta de apetite, urina escura e fezes esbranquiçadas. Já as hepatites B e C são transmitidos, sobretudo, por meio do sangue. O vírus da hepatite B também pode ser passado pelo contato sexual, reforçando a necessidade do uso de camisinha. Os sintomas são muito similares aos da hepatite A, mas as hepatites B e C podem evoluir para uma cirrose ou até câncer de fígado. Esse ano, no Tocantins, já foram 232 notificações das hepatites B e C. 

Para a hepatite tipo A, caso menos grave da doença, não existe tratamento. Espera-se que o organismo do paciente reaja sozinho. Já nos casos mais agudos da doença é necessário uma avaliação médica para indicar o melhor tipo de intervenção. O melhor remédio é a prevenção, através da vacina para hepatite B.

A técnica da Sesau reforça que nesta época de chuvas os cuidados devem ser redobrados para a prevenção da hepatite A, principalmente por causa das enchentes. “Os cuidados com a higiene pessoal, como lavar sempre as mãos, são fundamentais. Além de uma boa higienização no preparo dos alimentos”, relembra. (Ascom Sesau)