Palmas

Foto: Divulgação

O procurador de Contas junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) José Roberto Torres Gomes que será indicado para o cargo de procurador-geral de Palmas na gestão do prefeito eleito Carlos Amastha (PP) relatou ao Conexão Tocantins as principais demandas  do órgão. “Temos a demanda da modernização do parque tecnológico, instalações físicas visivelmente ruis. Esta questão material precisa ser vista com urgência”, enumerou.

O novo titular do órgão quer também implantar a digitalização dos processos. “Não há nada digitalizado”, conta completando que a reorganização e digitalização dos processos trará agilidade e segurança para o trabalho no órgão.

Embora já esteja confirmado na equipe do novo prefeito, José Roberto não faz parte da comissão de transição mas visitou a Procuradoria e conversou com os procuradores do órgão. Ele acompanha o levantamento que a comissão fez na Procuradoria.

Com relação às demandas judiciais o novo procurador conta que são 20 mil processos judiciais atualmente sendo 60% deles demandas relativas a execuções fiscais. Só processos administrativos são mais de 3 mil.

O novo procurador fala ainda em fazer revisão institucional que inclui políticas de valorização dos procuradores e modificação na estrutura de cargos e salários e na divisão de tarefas.

O procurador vai se afastar do Ministério Público de Contas em janeiro para assumir o cargo de procurador Geral hoje ocupado por Antônio Luiz Coelho.

"Brincadeira"

A indicação de José Gomes gerou dúvida nesta segunda-feira, 10, quando o prefeito eleito através de sua página no microblog Twitter se referiu a ele como "ex-futuro-procurador". Comentando o assunto, José Gomes frisou que a referência foi apenas brincadeira e que até o momento não há nenhuma alteração com relação à sua indicação.