Estado

Foto: Divulgação

A Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) firmou parceria com a Escola de Magistratura Tocantinense (Esmat), órgão do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJ) para o desenvolvimento do projeto “Justiça e Direitos Humanos no Tocantins: Desafios e Perspectivas”.

A parceria se concretizou por meio da assinatura do Termo de Cooperação Nº 07/2012, ocorrida na tarde da última segunda-feira (17) no gabinete da presidência do TJ, que contou com a presença da presidente do TJ, desembargadora Jaqueline Adorno, do diretor executivo da Fapto, Paulo Fernando Martins.

Estavam presentes também, o diretor geral da Esmat, desembargador Marco Antony Vilas Boas, o reitor da UFT, Márcio da Silveira, o pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da UFT, Waldecy Rodrigues, o diretor de pós-graduação da UFT, Alex Pizzo, o coordenador do Mestrado Profissional em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos da UFT, Tarsis Barreto, entre outras autoridades.

O projeto pretende ampliar e aperfeiçoar a produtividade acadêmica e profissional do corpo docente da UFT e dos servidores do poder judiciário tocantinense, objetivando a consolidação da capacidade de pesquisa e extensão na área das ciências jurídicas e das ciências humanas, sob uma perspectiva interdisciplinar.

Segundo o diretor executivo da Fapto, professor Paulo Fernando, a parceria para a realização do projeto é inédita e histórica, além de ser referência para o desenvolvimento da pesquisa e extensão que compreende a importância das investigações científicas no processo de aperfeiçoamento da justiça no Estado. “A Fapto brinda a chegada do final do ano com mais um projeto ousado e inovador que contará com professores e pesquisadores de diferentes núcleos e grupos de pesquisa da UFT sob a coordenação do professor Tarsis”, destaca.

O diretor da Esmat, desembargador Marco Vilas Boas, que coordenou os trabalhos para elaboração do projeto e sua aprovação, pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação (MEC), juntamente com o reitor da UFT, professor Márcio da Silveira, afirmou ter realizado um sonho. Ele destacou o apoio recebido da atual gestão do TJTO “Graças ao respaldo, garantia e viabilidade orçamentária foi possível aprovarmos e iniciarmos importante qualificação aos profissionais do Direito do Tocantins”, pontuou.