Campo

Foto: Divulgação

Colônias de pescadores e agricultores que se enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF, serão beneficiados com convênio entre Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins – Ruraltins.  

Nesse sentido, o SINCOV - Sistema de Convênios, do Governo Federal, aprovou na sexta – feira, 21, projeto elaborado pelo Ruraltins que visa o fortalecimento da piscicultura no Tocantins. De acordo com o chefe da Assessoria Técnica e de Planejamento, Adenieux Rosa Santana, com a aprovação recursos na ordem de R$ 550 mil, estão assegurados e serão aplicados na aquicultura e pesca nos 139 municípios tocantinenses.

“Os recursos chegam para fortalecer e ampliar os serviços de assistência técnica e extensão rural voltados para a piscicultura, por meio do reaparelhamento das nossas unidades regionais e escritórios locais, pois  serão adquiridos 10 veículos, kits de informática e outros equipamentos, além de possibilitar transferências de tecnologias para o setor”, afirma o assessor.

O projeto prevê ainda a contratação de 1.500 horas/máquinas para a implantação de 50 tanques escavados. Sendo que para o desenvolvimento dessas ações serão elaborados diagnósticos regionais destacando os municípios com maior potencial para a piscicultura.

O coordenador de Aquicultura e Pesca do Ruraltins, Arthur de Melo, explica que após o levantamento do diagnóstico o Ruraltins apresentará aos beneficiários os pré-requisitos de ordem ambiental e social para a construção das pequenas barragens. “Cumprindo essa etapa, os produtores com o apoio técnico do órgão, apresentarão aos órgãos de controle ambiental projeto para implantação da piscicultura em sua propriedade, que depois de concedida a licença, receberão aproximadamente 20 horas/máquinas para escavação das pequenas barragens”, destaca, acrescentando que a meta é aumentar a produção de pescado no Estado e melhorar a qualidade de vida dos pescadores e aquicultores com a geração de emprego e renda.

Potencial

Atualmente a piscicultura tocantinense conta com mais de 1.000 piscicultores em atividade, cresceu 752 % em 12 anos e se tornou uma das atividades da pecuária que mais recebeu pressão em seu desenvolvimento, saiu de uma produção de 1.330 toneladas/ano em 2001 para uma produção de 10.000 toneladas/ano em 2012.

Devido as suas condições naturais, o Estado vem atraindo investidores com atuação em toda a cadeia: pesquisa, produção, processamento e comercialização. Além disso, a instalação da Embrapa Pesca e Aquicultura, de nove laboratórios de reprodução, uma fábrica de ração e quatro frigoríficos com Selo de Inspeção Federal (SIF) tornam o Tocantins propício para a produção de peixes. (Ascom Ruraltins)