Economia

Foto: Juliano Ribeiro

O secretário executivo da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário, Ruiter Pádua, recebeu na tarde desta segunda-feira, dia 21, um grupo de consultores uruguaios e representantes da empresa F.M.S Uruguai. Na ocasião, Pádua realizou uma apresentação sobre o potencial agrícola do Tocantins, destacando a silvicultura e a pecuária leiteira, áreas de interesse do grupo.

Os uruguaios chegaram ao Tocantins no domingo, dia 20, e ainda visitarão diversas regiões do Estado, para avaliar o potencial agrícola. Lagoa da Confusão, Porto Nacional, Dianópolis são alguns dos municípios que o grupo irá conhecer. O retorno está previsto para o sábado, dia 26 de janeiro.

Em sua explanação, o secretário executivo destacou o potencial do setor florestal no Estado, que deve alcançar uma área plantada de 800.000 hectares até 2017. “Temos muito potencial de crescimento na agricultura e também na pecuária, porque nossas terras não são caras, temos mão de obra e aspectos naturais favoráveis, como topografia plana e regularidade das chuvas”, afirmou Padua.

O secretário executivo também falou sobre o potencial da piscicultura, do plantio de grãos, da cana-de-açúcar e dos projetos de irrigação no Estado: Manuel Alves (em Dianópolis), São João (em Porto Nacional), Sampaio (na região do Bico do Papagaio), o Gurita (Itapiratins) e o Prodoeste (na região Sudoeste). Por fim, Ruiter destacou a infraestrutura viária do Estado, com as rodovias, a Ferrovia Norte Sul, o projeto para a hidrovia Araguaia e os aeroportos.

Ao final do encontro, o consultor Eduardo Cuelho Martínez, um dos representantes da F.M.S Uruguai, reafirmou o interesse do grupo em atuar no Tocantins. Segundo ele, a F.M.S, que já trabalha no Canadá, Uruguai, Argentina e em alguns estados das regiões Sul e Sudeste do Brasil, vê com “entusiasmo” a possibilidade de realizar investimentos no Estado.

Empresa

A F.M.S Uruguai é uma empresa de investimento uruguaio e norte-americano, especializada em florestas plantadas e com interesse em expandir seus negócios no Brasil. (Ascom Seagro)