Estado

Membros da diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Tocantins (Sindjor/TO) se reuniram, em sua sede, na tarde desta quinta-feira, 31, para definir ações e mobilizações que irão reforçar a agenda de trabalho 2013. A principal prioridade da agenda do Sindjor, neste momento, é a construção da sede definitiva do Sindicato. Outro ponto de destaque é a retomada da campanha de sindicalização para fortalecimento da entidade.

Dentro do calendário está a busca de maior aproximação com acadêmicos do curso de Comunicação e a promoção de visitas às faculdades para esclarecimento sobre a importância da sindicalização. Outro ponto abordado durante a reunião foi a garantia da participação de representantes do Sindjor nos eventos da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj).

São muitos os desafios da categoria para 2013, como a retomada da exigência da formação de nível superior em Jornalismo para o exercício da profissão. Com a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no Senado, em dois turnos, ela se encontra agora na Câmara dos Deputados.

Além da luta por melhores salários e condições de trabalho, que são bandeiras históricas, há também de se dedicar esforços pela aprovação da lei federal que cria o Piso Nacional da categoria, com respeito à jornada de trabalho de 5 horas diárias e as demais normas estabelecidas na CLT. Esta é a maneira de tentar por fim à crescente precarização das relações de trabalho.

Por fim, mas não menos importante, fará parte deste elenco de lutas e aspirações ações que os jornalistas de todo o País deverão estar empenhados em 2013, conforme resoluções da Carta de Rio Branco, que sintetiza as decisões do 35º Congresso Nacional da categoria, realizado na capital do Acre, em lutar pela criação do Conselho Nacional de Comunicação, pela aprovação de uma nova Lei de Imprensa para o País e a necessidade de aperfeiçoar a regulamentação da profissão de jornalista, tendo como base a criação do Conselho Federal e Conselhos Regionais de Jornalistas (CFJ).

Na avaliação do presidente do Sindjor, Júnior Veras, esta agenda significa, entre outras coisas, que estamos unidos e vamos nos organizar cada vez mais. “É de fundamental importância formar comissões de trabalho para podermos agregar mais esforços na realização das tarefas, disse”.

Com isso, permanece definida a comissão responsável pelas articulações para construção da sede própria do Sindjor, formada pelos jornalistas Júnior Veras, Socorro Loureiro, Luiz Pires, Belmiro Gregório, Luciene Lopes, Hélder Peixoto, Alessandra Bacelar, Aldemar Ribeiro e Alecsandre Oliveira.