Polí­cia

Foto: Divulgação

O secretário estadual da Segurança Pública do Estado do Tocantins, João Fonseca Coelho, acompanhado pelo superintendente da Polícia Técnico-Científico, Nelson Guimarães Tavares e do diretor de Polícia Civil da capital Palmas, delegado Hélio Ferreira Lima, estiveram, no final da tarde da última quinta-feira, 31, nas dependências do Instituto de Criminalística – IC de Palmas. A visita teve como objetivo principal acompanhar as instruções finais repassadas ao Perito Criminal Rogério Olavo Marçon acerca do manuseio e utilização de um kit composto por espectômetro de massa, cromatógrafo e programa de software que consistem em um novo equipamento de alta tecnologia adquirido pela Superintendência.

De acordo com o representante da empresa que repassou as instruções ao Perito Tocantinense, o equipamento é capaz de separar e identificar grande série de moléculas, tais como; drogas industrializadas e em natura, além de manchas de sangue esperma dentre outras. O aparelho também é capaz de caracterizar e possivelmente identificar bebidas adulteradas e outras substâncias químicas.

Segundo o perito Rogério Marçon, a aquisição do equipamento possibilitará a confecção de análises mais rápidas e resultados com grau de confiabilidade muito maior em relação ao sistema tradicional. O leque de exames também será bastante ampliado, haja vista que o espectômetro de massa possibilita a realização de um número bem maior de procedimentos, permitindo inclusive traçar o perfil geral dos compostos existentes nas amostras analisadas.

O novo aparelho visa atender as demandas do Instituto de Criminalística no campo das análises moleculares de drogas e outros compostos e, foi adquirido com recursos de um convênio firmado entre a Secretaria da Segurança Pública e a Secretaria Nacional de Justiça – Senasp, ao custo de R$ 308.000,00 (Trezentos e Oito Mil Reais).

Para o Secretário da Segurança Pública, a aquisição de tão importante equipamento demonstra o comprometimento e o empenho da SSP em dotar todos os institutos que compõem a Polícia Técnica Científica com as mais modernas tecnologias existentes no mercado para que os trabalhos desenvolvidos pelos órgãos alcancem um padrão ainda maior de qualidade e confiabilidade, o que resulta em benefícios para a toda a população tocantinense.

O superintendente da PTC, falou da satisfação em contar com uma ferramenta tão moderna e que ajudará de forma significativa os trabalhos realizados no IC. “A aquisição do cromatógrafo significa um grande avanço tecnológico e científico que vai proporcionar a identificação de produtos e vestígios oriundos de investigação criminal, que ajudarão sobremaneira nos procedimentos policiais fornecendo dados precisos para o embasamento de inquéritos”, concluiu Tavares. (Ascom SSP)