Polí­cia

Foto: Divulgação Caso aconteceu em Buriti do Tocantins Caso aconteceu em Buriti do Tocantins

O diretor do Colégio Estadual Buriti, no município tocantinense de mesmo nome, Itamar Pereira Martins, retornou às suas atividades, conforme publicação no Diário Oficial do Estado do último dia 1º fevereiro. Martins foi acusado, em fevereiro de 2012, de abusar de uma aluna, à época com 16 anos. O caso chamou bastante a atenção, o diretor foi afastado de suas funções e o caso encaminhado para a Corregedoria do Estado.

Um morador do município, que não quer ser identificado, demonstrou indignação com o retorno do diretor às suas atividades no colégio. O morador questionou a suposta falta de atuação do Estado na apuração dos fatos. Além disso, ele ainda questionou a ética e a competência do diretor à frente da Escola.

Diretor e vereador

Já Itamar Pereira Martins, agora eleito vereador de Buriti, comemorou a decisão da Secretaria e afirmou que a acusação de abuso foi descabida e com fins eleitorais. “Eu recebi a notícia (da revogação da portaria que o afastou) com a cabeça erguida. Levantaram aquela calúnia com motivações políticas”, destacou.

O diretor/vereador informou que a partir de agora pretende manter suas duas funções no município. “Já fui reconduzido à minha unidade de trabalho. Todos sabem da minha competência e habilidade para lidar com estas questões. Agora é dar continuidade ao meu trabalho e à vida”, completou.

Seduc

Em nota encaminhada na manhã desta quinta-feira, 7, no entanto, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) informou que o caso ainda não foi encerrado e que novas ações ainda podem ser tomadas. De acordo com a Seduc, o diretor ainda deverá ser transferido para a Diretoria Regional de Ensino de Araguatins e o caso encaminhado para a Secretaria Estadual da Administração para instauração de processo Administrativo Disciplinar em desfavor do servidor.

Itamar, contudo, frisou que não pretende deixar o município de Buriti, mesmo que sua transferência seja autorizada pela Seduc. “Eu, como servidor, passei no concurso para este município e não vou me mudar para Araguatins. Vou brigar por isto porque tenho meus direitos”, disse.

Ação criminal

Mesmo tendo se retorno cravado para a diretoria do Colégio, Itamar Pereira Martins ainda está sob investigação criminal. O processo, conforma apurado pelo Conexão Tocantins, ainda está em fase de inquérito, onde são coletados laudos e testemunhas arroladas. Como este é um crime de natureza hedionda, caso seja condenado, o diretor poderá pegar de 8 a 15 anos de prisão.

Relembre

Em fevereiro de 2012, o diretor do Colégio Estadual Buriti, no município homônimo, foi acusado por Domingas Almeida, mãe de uma adolescente estudante do colégio, de ter abusado sexualmente de sua filha. De acordo com o relato da mãe da menina na época, Itamar teria a levado para um motel entre Buriti e Araguatins, onde teria forçado a realizar o ato sexual.

Na época um Boletim de Ocorrência chegou a ser formalizado no Conselho Tutelar do município e o caso foi encaminhado ao promotor e ao juiz da comarca.