Meio Ambiente

Foto: Divulgação Pedro Gill, Delegado do Tocantins na 1ª Conferência Nacional de Desenvolvimento Regional Pedro Gill, Delegado do Tocantins na 1ª Conferência Nacional de Desenvolvimento Regional

O Tocantins envia cerca de 10 delegados eleitos na etapa estadual da Conferência de Desenvolvimento Regional, iniciada em setembro de 2012, para participar da I Conferência Nacional de Desenvolvimento Regional, que acontece nestes próximos dias 18 a 22 de março, no Centro de Eventos Brasil 21, em Brasília. O objetivo dessa conferência nacional é consolidar o texto base, com princípios e diretrizes aprovadas nas etapas estaduais e macrorregionais, para contribuir com a elaboração do Plano Nacional de Desenvolvimento Regional que deverá ser encaminhado pelo Ministério da Integração Nacional para sanção da Presidência da República.

Na conferência, a delegação tocantinense irá se unir a mais de 1000 delegados eleitos em estados de todo o País. Serão cinco dias de encontro em que a delegação tocantinense, que é composta por representantes do poder público, da sociedade civil organizada, setor acadêmico e empresariado, terá a missão de apresentar as propostas apontadas no debate realizado no Tocantins e participar com direito a voz e voto em plenária.

É aguardada a presença da presidente Dilma Rousseff, ainda não confirmada e do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, além de representantes das secretarias dos ministérios envolvidos e convidados nacionais e internacionais que deverão participar do “Seminário Internacional: Política Regional no Contexto Global - situação atual e perspectivas”, que acontece no âmbito da Semana do Desenvolvimento Regional, entre os dias 19 e 21 de março, como parte da programação da Conferência Nacional.

Para o diretor de Fomento em Energias Limpas da Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e um dos delegados desta comitiva, Pedro Gill, o Tocantins leva para essa conferência, as colaborações pelo desenvolvimento regional mais votadas durante a etapa macrorregional. Entre outros, estão indicadores ambientais, índices de desenvolvimento sustentável, de energias limpas renováveis e de consórcios municipais. Ele também apontou dois desses indicadores como favoritos à aprovação da plenária para integrar o plano nacional. “Diante da expressiva aprovação recebida nas etapas estadual e macrorregional, os índices de  desenvolvimento sustentável e energias limpas renováveis têm um grande potencial de aprovação para integrar o plano nacional”, pontuou Gill.

O Governo Federal já incentivou iniciativas semelhantes em outras áreas, como do meio ambiente, segurança pública e comunicação, sendo essa a primeira conferência nacional na área de desenvolvimento regional, que além de questões ambientais, contempla outros temas. Com a sanção do Plano Nacional de Desenvolvimento Regional pela Presidência da República, os estados brasileiros passarão a contar com um instrumento orientador que irá apontar a prioridade de investimentos de acordo com as demandas e será facilitador do planejamento participativo.

No Tocantins, a Conferência Estadual de Desenvolvimento Regional teve como ponto focal do Ministério da Integração Nacional, a Secretaria de Planejamento e Modernização da Gestão (Seplan) que organizou e mobilizou a participação dos representantes dos diversos segmentos no Estado. O translado, hospedagem e permanência dos delegados integrantes da comitiva serão custeadas pelo ministério.