Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

A deputada estadual Josi Nunes (PMDB) usou a tribuna  durante a sessão matutina desta quarta-feira,20, para tratar sobre a Segurança Pública no Tocantins no que tange ao efetivo da policia militar.

Segundo a deputada, o governador do Estado não conhece a demanda mínima de policiais militares que o Tocantins precisa, já que anunciou um concurso com apenas 10% do total necessário. “A reportagem exibida por um veículo de comunicação na ultima segunda-feira,18, enfatizou que o próprio comando da Policia Militar reconhece a necessidade de um contingente de 3.000 homens, no entanto, o governo anunciou um concurso para 300 vagas, ou seja, 10 % deste total. Sou totalmente favorável a realização de concurso público. Mas, um concurso público que venha a atender a demanda existente”, destacou a deputada.

 Na oportunidade, Josi relatou ainda a situação de Gurupi, onde há apenas duas viaturas e de outras cidades em que a situação é ainda mais precária. “Recebi informações de que em Gurupi existem apenas 2 viaturas e não existe efetivo policial para a cidade. Na cidade de Sucupira há apenas 1 policial e na Casa de Prisão Provisória em Gurupi dizem que são 2 policias para 100 presos e no Presídio em Cariri, 7 homens para tomar conta de 300 detentos”, salientou.

A deputada sugeriu ao  chefe do executivo, que  possa rever  o ato  e que realize um concurso planejado, com numero de vagas suficientes para atender a necessidade do Estado. “Porque não fazer um edital que contemple as 3.000 vagas, com um cronograma detalhado para convocação de aprovados, de acordo com uma definição orçamentária previamente definida”, questionou.

Ao finalizar a peemedebista disse que contratar civis para exercer a função militar além de ser é um afronto a legislação, mostra o despreparo da gestão. “Não adianta tentar tampar o sol com peneira. Contratar civis para exercer a função militar, que seja ela administrativa, além de entender ser um afronto a legislação, é um ato que demonstra falta de preparo do gestor público no trato com uma das principais áreas de um governo: a segurança de seu povo”, finalizou. (Ascom Josi Nunes)