Economia

Foto: Fernando Alves

Nesta Semana Santa, a Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Sagri), através da Superintendência de Feiras, fará o monitoramento da qualidade dos peixes e dos preços praticados nas feiras livres de Palmas. O objetivo é garantir que o consumidor leve produtos de qualidade e com preço justo para casa.

“Temos estudos internos indicando que cerca de 200 toneladas de peixes serão direcionadas para Palmas, somente nesta Semana Santa, para garantir que não falte o produto na mesa”, informou o secretário municipal de Agricultura, Roberto Sahium, acrescentando que esta grande quantidade de pescado vai acabar com o mito de que os preços sobem na Semana Santa por falta da mercadoria.

“Palmas hoje conta com distribuidores de peixes de criatório que repassam o produto a um preço acessível ao consumidor. O preço de espécies como tambaqui, caranha do Tocantins, piau e piabanha sai por R$ 5,00 o quilo; já o surubim ou pintado amazônico sai por R$ 11,00 do distribuidor para os feirantes”, explicou Sahium.

De acordo com o gestor, baseado nestes números, a Sagri optou por informar a população sobre a oferta de peixe e seu preço real para eliminar o risco de especulação. “Temos 200 mil quilos de peixe chegando ao mercado de Palmas. Os grandes frigoríficos vendem mais barato devido à política de diminuição de preço da cesta básica instituída pela presidente Dilma Rousseff, ou seja, tudo é favorável para que o preço seja justo para o consumidor final”, frisou Sahium.

“Se o consumidor chegar na banca informado, ele vai poder cobrar um preço mais acessível, que seja lucrativo para o feirante, mas que não seja abusivo do ponto de vista de quem paga a conta”, defende.

Supermercados

Uma equipe da Secretaria está realizando levantamento dos preços praticados em supermercados de diversas regiões de Palmas para informar feirantes e população ainda durante esta Semana Santa. (Secom Palmas)